O fenômeno tio Juca

O fenômeno tio Juca – Médium marcante e exemplo de solidariedade

Antonio Cesar Perri de Carvalho (*)

Por ocasião de nossa estada em Vitória da Conquista (Bahia), para cumprir programa do XII Encontro da Casa Espírita Francisco Cândido Xavier, também proferimos palestra no Centro Espírita André Luiz. Numa noite fria de agosto de 2019, ao chegarmos no “André Luiz”, fomos recepcionado afetuosamente por Aurora Benjamim Rocha, antiga médium, uma das fundadoras do Centro (em 1985) e dirigente, sempre acompanhada de seu esposo Edmundo Santos Rocha, o atual presidente.

Na oportunidade ela se referia a palestras nossas proferidas em Congressos Estaduais da Bahia e, como comentávamos sobre alguns livros ali expostos, ela nos ofertou a obra O fenômeno Tio Juca (também disponível em livrarias virtuais) – que desconhecíamos a existência -, informando que tem constatado a presença deste espírito no Centro. Trata-se de livro que reúne registros sobre atuações do médium José Soares de Gouveia (1898-1965), conhecido familiarmente como Juquinha e em geral como Tio Juca.

O autor é Eusínio Gaston Lavigne (1873-1973), descendente de franceses que foi líder político e prefeito de Ilhéus (Bahia), espírita e autor de diversos livros. A apresentação é assinada pelo dr. Roberto Requião, de Feira de Santana. Lavigne organizou o livro em três partes: O fenômeno Tio Juca. Faculdades psíquicas; Tio Juca: O cidadão e o cristão operante. Fatos que definem sua personalidade, caráter e inclinação para o bem e a solidariedade humana; Tio Juca: Memória prodigiosa. Fatos excepcionais e edificantes e anedotas reais de fundo educativo. Cada uma das partes conta com cerca de 30 relatos de casos.

Logo após nosso retorno ao lar passamos a ler o livro citado. À medida que nos aprofundávamos na leitura aumentava o interesse pelos inúmeros fatos colecionados sobre o notável médium. Tio Juca viveu no Ceará, Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro, em função de ser funcionário público federal no cargo de “fiscal de consumo”. Casado e com filhos, com raízes familiares e residência mais prolongada na Bahia.

Em Salvador fundou a “Casa do Tio Juca”, para atendimento de crianças e que chegou a contar com reconhecimento de utilidade pública. Há relatos de inúmeros alertas espirituais para se evitar acidentes, sonhos premonitórios, várias curas, localização de pessoas e objetos, chamamentos espirituais para atendimento de pessoas em risco, apoio financeiro a pessoas, encaminhamento de pessoas para uma vida equilibrada, tudo sempre com muita motivação de solidariedade humana. O interessante é que os fenômenos eram sempre espontâneos, inesperados e contavam com rápidas providências do médium. Um caso surpreendente foi a localização de uma jovem desaparecida há cerca de 20 anos na Amazônia. Insistentemente orientado por espíritos, de maneira voluntária e sem ter nenhum conhecimento do episódio, com base nas informações insistentes de natureza espiritual, empreendeu uma longa e complicada viagem, uma autêntica aventura, ele a localizou numa tribo indígena, bem integrada e realizando um trabalho que a satisfazia. Em seguida, já tendo descoberto onde residia a mãe da jovem, em Manaus, procurou-a e informou-a de que a filha estava viva e bem, e não queria retornar à antiga condição familiar e social, entregando-lhe um medalhão de família, devolvido pela jovem. Inúmeras pessoas foram repentinamente beneficiadas pelas ações espontâneas de solidariedade praticadas por Tio Juca, atendendo à sua intuição ou claramente orientado por Espíritos.

Sempre fiel cumpridor de seus deveres profissionais e totalmente avesso a qualquer forma de corrupção passou por momentos difíceis e até sofreu um atentado contra sua vida, sendo alvejado várias vezes. Atendido em hospital e pelos espíritos, recuperou-se rapidamente surpreendendo a equipe médica, remanescendo sequelas até menores face à gravidade das lesões imediatas. Tio Juca superou as limitações orgânicas e perdoou o atirador. Entre as dezenas de registros sobre episódios que demonstram vários dons mediúnicos, há informações que se relacionam com momentos da história do país. Tio Juca foi amigo de padre Cícero e num dos momentos em que estavam juntos, coincidiu com a visita do então temível Lampião, que respeitava o anfitrião; teve muitos contatos com Juarez Távora, que chegou a concorrer em eleição presidencial; era admirado pelo presidente Getúlio Vargas; e teve contatos com muitas personalidades do início e até meados do século XX. Tio Juca, acompanhado de sua família, visitou Chico Xavier em Pedro Leopoldo, em abril de 1952, e recebeu a informação sobre sua missão.

Fato inesperado e curioso na leitura do livro sobre o médium e que nos chamou a atenção, pois em alguns casos são citados alguns médicos que tiveram alguma relação com Tio Juca e que se constituem em referências para nós.

Assim, além dos valorosos exemplos como portador de uma variedade de dons mediúnicos, de dedicação ao próximo, de superação de dificuldades e de uma vida digna, encontramos no livro também casos que envolvem médicos que também passaram por nossa trajetória de vida. Há informações sobre o renomado pediatra paulista, o dr. Mário Margarido. O fato é que quando contávamos pouco mais de um ano de idade, nossos genitores nos trouxeram para consulta com ele em São Paulo, oportunidade em que houve um preciso diagnóstico e a tranquilização para a família. Este médico tornou-se espírita, conforme caso relatado no livro. Hoje existe até uma praça em São Paulo com o nome do notável pediatra. Em outro relato é citado o dr. Lauro Neiva, que atuou profissionalmente no Rio de Janeiro. Por volta de 1971, por intermédio de um tio médico residente naquela cidade, conhecemos livros desse facultativo sobre a utilização da aveloz para o tratamento do câncer e sobre as terapêuticas espirituais realizadas no Santuário de Frei Luiz, em Jacarepaguá. Na época chegamos a visitar esta instituição. Episódio mais próximo da atualidade, tem haver com o dr. Luís Barreto Vieira, oriundo de Vitória da Conquista e radicado em Salvador. Tivemos a oportunidade de dialogar com este médico em muitos eventos espíritas em função de livros de autoria dele sobre concepção e relacionados com campanhas para se evitar o aborto.

O biógrafo chegou a publicar alguns textos sobre Tio Juca no jornal A Tarde, de Salvador. Nesses artigos e no livro destaca perfis do Tio Juca como exemplo de moralidade familiar, profundo respeito à profissão e fiel cumpridor de deveres, espírito público, memória e inteligência invulgares e portador de virtudes cristãs. No final do livro Eusínio Lavigne afirma: “se a bondade pudesse ser personificada numa criatura humana, esta não seria senão o próprio Tio Juca”.
Fonte:
Lavigne, Eusínio. O fenômeno Tio Juca. 1.ed. São Paulo: Editora Mnêmio Túlio. 2006. 199p.

(*) – Ex-presidente da USE-SP e da FEB; ex-membro da Comissão Executiva do CEI.

Publicado e transcrito de:

Revista Internacional de Espiritismo, Ano XCIV, No. 9, outubro de 2019, p.456-457.

Clara lança livro sobre suicídio em Campinas

Clara lança livro sobre suicídio em Campinas

Clara Lila Gonzáles de Araújo (do Rio de Janeiro, ex-diretora da FEB, ex-colaboradora do Centro Espírita Allan Kardec de Campinas), estará lançando seu novo livro Comportamento Suicida na infância e na adolescência. Conhecer para prevenir, Edição CEAK, no dia 12 de outubro na décima primeira Feira de Livros Espíritas promovida pelo CEAK, em Campinas. na sequência terá algumas palestras e lançamentos na cidade e região e no dia 19  de outubro estará ministrando um seminário no Grupo Espírita Batuíra, bairro de Perdizes, em São Paulo.

Palestra na Semana do Livro Espírita homenageia Heigorina Cunha

Palestra na Semana do Livro Espírita homenageia Heigorina Cunha

 

Na XXI Semana Espírita no Grupo Espírita Casa do Caminho, de São Paulo, na tarde do dia 3 de outubro a palestra de Célia Maria Rey de Carvalho (ex-diretora da USE-SP e da FEB) focalizou Heigorina Cunha (de Sacramento, sobrinha de Eurípedes Barsanulfo). Presentes o esposo Cesar e o filho Flávio. Também foram homenageados pela efeméride o Codificador e os 48 anos de fundação da Casa do Caminho. Houve apresentação musical. O evento homenageando vultos espíritas brasileiros e com Feira do Livro, prossegue até dia 4 de outubro e serão focalizados: Eurípedes Barsanulfo, Chico Xavier, Batuíra, Maria Dolores e Bezerra de Menezes.

Início de palestras e Feira do Livro com homenagem a vultos espíritas

Início de palestras e Feira do Livro com homenagem a vultos espíritas

Com Feira do Livro teve início no dia 30 de setembro a XXI Semana do Livro Espírita promovida pelo Grupo Espírita Casa do Caminho, de São Paulo. Neste primeiro dia foram expositores: Maria Selma, sobre Meimei; Antonio Cesar Perri de Carvalho, sobre Bittencourt Sampaio e Régis Lang, sobr teve inícioe Yvonne Pereira. O evento prossegue até dia 4 de outubro com palestras focalizando grandes nomes do Espiritismo: Bezerra de Menezes, Herculano Pires, Eurípedes Barsanulfo, Chico Xavier, Hernani Guimarães Andrade, Tomaz Novelino, Heigorina Cunha, Inácio Ferreira, Anália Franco, Batuíra e Maria Dolores.

Dia 3 estreia o filme “Paulo de Tarso”

Dia 3 estreia o filme “Paulo de Tarso”

No dia 3 de outubro estreia o filme “Paulo de Tarso e a história do cristianismo primitivo” em cinemas de várias capitais brasileiras, e, em seguida, chegando às diversas capitais e várias cidades. O filme é dirigido por André Marouço, tendo como curador Severino Celestino, Professor Doutor em Ciências da Religião da Universidade Federal da Paraíba, vários comentadores, e atuação dos atores Alexandre Galves, no papel de Paulo, e Caio Blat como Estêvão. O filme é um agradável e esclarecedor docudrama baseado nas "Epístolas de Paulo" e "Atos dos Apóstolos", exibindo cenas dos locais por onde atuou Paulo um dos principais propagadores do Cristianismo. Momentos marcantes da trajetória do apóstolo são mostrados em função de sua fé e dedicação aos ensinos de Jesus.

Este filme teve uma pré-estreia na manhã do dia 21 de setembro, no Cinema Frei Caneca do Espaço Cultural Itaú, em São Paulo, com sala lotada, com o diretor, alguns atores, figurantes, colaboradores, apoiadores, convidados para o evento e equipes da TV Mundo Maior e da Rádio Boa Nova.

Ação pública do Setembro Amarelo realizado em Araçatuba

Ações públicas do Setembro Amarelo: em Araçatuba e São Paulo

Durante do todo o dia 27 de setembro e até 22 horas, houve atividade dentro do programa Setembro Amarelo, em Araçatuba (SP) no Shopping Center Cidade Nova com foco na prevenção do suicídio: "Falar é a melhor solução". Voluntários também prestaram alguns serviços de apoio a saúde, como alguns exames e tomadas de pressão arterial. Apoio do CVV e várias entidades, como de espíritas, o Movimento Amor à Vida (https://www.facebook.com/movimentoamoravida/)

Em São Paulo, na manhã do dia 29 de setembro (domingo) houve a Marcha da Vida – de esclarecimentos sobre prevenção ao suicídio, na Avenida Paulista, promovida pelo CVV.

No mesmo dia e também na Avenida Paulista, o histórico Instituto Pasteur, da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, estava aberto para visitação com esclarecimentos sobre vacinas e oferecendo teatro de fantoche gratuito para crianças.

No domingo anterior, dia 22, também na Avenida Paulista houve a Marcha pela Vida, de esclarecimentos para se evitar abortos.

Feira do Livro Homenageia Grandes Nomes do Espiritismo

Feira do Livro Homenageia Grandes Nomes do Espiritismo

 

A XXI Semana do Livro Espírita que o Grupo Espírita Casa do Caminho, de São Paulo, promove de 30 de setembro a 4 de outubro, contará com palestras vespertinas e noturnas de 15 conhecidos expositores. Nos seus temas estarão focalizando grandes nomes do Espiritismo, como Bezerra de Menezes, Bittencourt Sampaio, Eurípedes Barsanulfo, Chico Xavier, Hernani Guimarães Andrade, Tomaz Novelino, Heigorina Cunha, Yvonne Pereira, Inácio Ferreira, Herculano Pires e outros.

André Trigueiro lançou oportuno livro sobre crises

André Trigueiro lançou oportuno livro sobre crises

O jornalista e conferencista André Trigueiro, que também atua na seara espírita, depois de lançar um novo livro na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, na dia 23 de setembro proferiu palestra sobre o tema de seu livro "A força do um" no Palácio da Justiça do Estado do Rio de Janeiro, seguindo-se autógrafos. O novo livro de Trigueiro se refere a crises e à loucura do mundo, e comenta: "Não importa a sensação de impotência. Existe a força do um. A força de uma ideia impactante. A força de um sentimento superior. A força de uma ação transformadora." O conhecido e respeitado jornalista André Trigueiro compartilha ideias, expõe sentimentos e sugere ações transformadoras, mostrando algo muito poderoso: cada um de nós tem o poder de interferir na realidade que nos cerca; a força do um transforma a realidade de todos. Livro editado pela Infinda, mas disponível em redes de grandes livrarias de Shoppings e também na Distribuidora Candeia.

Há 215 anos nascia Allan Kardec

Há 215 anos nascia Allan Kardec

Antonio Cesar Perri de Carvalho (*)

Em 3 de outubro de 1804, em Lyon nascia Hippolyte Léon Denizard Rivail. No transcorrer de sua existência veio a ser dedicado e prestigiado educador francês, e, a partir do lançamento de O livro dos espíritos (1857), conhecido com o pseudônimo de Allan Kardec e reconhecido como o Codificador do Espiritismo.

No presente ano transcorreram 160 anos da publicação de seu livro O que é o espiritismo? ( Qu'Est-ce Que le Spiritisme em francês). Trata-se de uma breve introdução ao Espiritismo lançada em 1859. Este livro tem cerca de um quarto da extensão de O livro dos espíritos. É uma espécie de introdução ao estudo da Doutrina Espírita, como Kardec colocou como sub-título da obra; discorre sobre os pontos fundamentais do Espiritismo, em linguagem fácil e acessível a todas as inteligências.

Interessante é que após 150 anos após desencarnação de Kardec, ocorrida em março de 1869, recentemente estão sendo valorizados documentos, periódicos e livros franceses, quase desconhecidos no Brasil, que trazem esclarecimentos sobre episódios que ficaram ocultados ou obscurecidos sobre a vida de Kardec e sua esposa, e sobre a divulgação de suas obras imediatamente após sua desencarnação.

O filme “Kardec” lançado em maio de 2019 alcançou cerca de um milhão de espectadores nos cinemas brasileiros e agora se encontra disponível no “Netflix”. Durante a exibição do filme foi lançado o livro Kardec. A história por trás filme, onde Wagner de Assis e Marcel Souto Maior fazem significativos depoimentos sobre o projeto e a execução do filme e apresentam suas visões sobre o Codificador. Wagner relata vários momentos da filmagem. O filme “Kardec” deve provocar nos espíritas o desafio de se estudar mais o Codificador!

Em nosso país surge o início da divulgação de manuscritos e de documentos, o Projeto “Cartas de Kardec”, riquíssimo acervo que estava em poder da família de Silvino Canuto Abreu, finalmente doados à Fundação Espírita André Luiz, de São Paulo.

Com disponibilização de documentos digitalizados em cartórios da França e de obras digitalizadas do acervo de várias bibliotecas, principalmente da Biblioteca Nacional da França, muitos episódios sobre a vida e obra de Allan Kardec estão vindo à tona.

Todavia, em nosso meio se faz necessária a conscientização de que a maior homenagem ao Codificador será sempre o estudo, a divulgação e prática do Espiritismo de conformidade com suas Obras Básicas.

Passado um século e meio da desencarnação de Allan Kardec, ao lado da expansão do Espiritismo, há muitas “novidades”, “modismos” e “personalismos”, o que torna muito necessário o estudo e a difusão das Obras Básicas. Daí a importante “Campanha Comece pelo Começo”, idealizada por Merhy Seba, patrocinada pela USE-SP em meados dos anos 1970 e aprovada pelo CFN da FEB em novembro de 2014.

(*) Ex-presidente da USE-SP e da FEB.