Na Federação da Bahia e vários Centros: palestras de Perri e reencontro com amigos

Na Federação da Bahia e vários Centros: palestras de Perri e reencontro com amigos

Durante o roteiro de seis palestras por Salvador (Bahia), entre os dias 24 e 28 de novembro, Antonio Cesar Perri de Carvalho esteve na Sede Histórica e na sede nova da Federação Espírita do Estado da Bahia. Nesta, abordou tema sobre Paulo de Tarso. A reunião foi dirigida pelo presidente da FEEB André Luiz Peixinho, estavam presentes outros dirigentes como Ruth Brasil. Esta dirige no local um grupo de estudo sobre "Paulo e Estêvão".

Durante o programa, na Casa de Oração Bezerra de Menezes também encontrou-se com os ex-presidentes da FEEB Joseval Carneiro e Adilton Pugliesi, e com Creuza Lage, que participou da gestão de Perri na FEB, com encargos junto ao CFN da FEB. Também autografou livros de sua autoria: "Epístolas de Paulo à luz do Espiritismo", "Cristianismo nos séculos iniciais", "Chico Xavier- o homem, a obra e as repercussões", "União dos Espíritas. Para onde vamos?”

Programa de palestras em Salvador

Programa de palestras em Salvador

  

Em roteiro de palestras organizado pela Editora EME e por Joseval Carneiro, ex-presidente da Federação Espírita do Estado da Bahia, Antonio Cesar Perri de Carvalho (ex-presidente da USE-SP e da FEB) proferiu seis palestras em Salvador entre os dias 25 a 28 de novembro. Com palestras sobre seu livro “Chico Xavier – o homem, a obra e as repercussões” (Ed. USE-SP e EME), seguindo-se autógrafos, o programa se iniciou no Centro Espírita Casa da Caridade Coração de Maria, bairro de Imbuí. No dia 26 à noite o visitante proferiu palestra no Centro Espírita Paulo e Estêvão, no bairro de Pituba. Sempre acompanhado de Joseval Carneiro e de Arnaldo Camargo (EME) esteve também em mais dois Centros e nas sedes da FEEB.

Chico Xavier exalava perfume

Chico exalava perfume

Nena Galves

Chico Xavier foi operado no Hospital Santa Helena em São Paulo, em 30 de agosto de 1968. Era uma noite de inverno, o frio era intenso, mantínhamos uma calma aparente, mas as expectativas nos atemorizavam.

Chico fez sua recomendações com orientações para nosso procedimento caso desencarnasse. Trazia embrulhado um pacotinho que deu ao Galves (meu marido). Suas economias, segundo ele, para pagar a cirurgia e as despesas do hospital. Galves guardou o dinheiro com lágrimas nos olhos.Chico apenas nos pedia proteção e carinho numa hora tão difícil.

Em princípio, ele seria operado da próstata, mas o plano espiritual encarregou-se de também liberar Chico de uma hérnia da qual era portador há bastante tempo. Assim foi feito. Chico foi beneficiado na mesma oportunidade com retirada de várias sequelas provenientes dos maus tratos na infância, quando sua madrinha, uma pessoa doente, como classificava Chico, espetava-lhe garfos no abdômen.

O inverno era bastante rigoroso, mas o quarto permanecia sempre aquecido sem que para isso precisássemos recorrer à aparelhagem apropriada. Mais tarde, Chico nos relatou que os espíritos benfeitores revezavam-se, em contínua vigilância, para preservar o ambiente de qualquer interferência menos benéfica a seu restabelecimento.

Chico manifestou o desejo de agradecer aos funcionários mais humildes, que muito haviam colaborado para seu bem estar em um período tão difícil. Pediu a Galves que adquirisse e lhe trouxesse ao hospital, dez dúzias de rosas coloridas. Amparado por Galves e Suzana dirigiu-se à enfermaria, à cozinha, à portaria e a agradecer as preces feitas em seu favor, oferecia rosas e beijava as mãos de quem lhe haviam servido em anonimato.Um perfume vindo do plano espiritual exalava a cada beijo ou gesto de Chico, era também um agradecimento dispensado por ele.

Voltou ao leito cansado, com lágrimas nos olhos e o coração agradecido. Os corredores e demais dependências por onde Chico havia passado permaneceram perfumados por um bom tempo. Este é um dos muitos momentos que nos revelam a grandeza espiritual deste médium. Quando Chico estava no leito, impossibilitado de movimentar-se, todos sentíamos este perfume que exalava de suas roupas, de seus travesseiros, do copo onde ele encostava seus lábios, enfim, em tudo que ele tocava. Quando orávamos em seu favor, as rajadas de perfume que recebíamos eram mensagens que os espíritos nos mandavam em agradecimento, assegurando-nos que estavam conosco.

Muitos amigos quiseram colaborar no custeio à cirurgia, mas foi desnecessário. Antes que fosse efetuado o pagamento das despesas hospitalares e profissionais, elas foram totalmente dadas por acertadas. O Hospital Santa Helena, por meio de sua diretoria, nada cobrou pelos procedimentos e hospedagem. Os médicos fizeram questão de nada cobrar, também.

(Galves, Nena. Até Sempre Chico Xavier. São Paulo: CEU)

Palestras de Cesar Perri em Salvador

Palestras de Cesar Perri em Salvador

No período de 25 a 28 de novembro, Antonio Cesar Perri de Carvalho estará proferindo palestras em várias instituições espíritas de Salvador (Bahia). Na oportunidade, estará lançado seu livro "Chico Xavier. O homem, a obra e repercussões" (Ed. EME e USE-SP).

Programação:

DIA 25 – 2a.FEIRA – 18:00h – C.E. CASA DA CARIDADE CORAÇÃO DE MARIA (IMBUÍ);

DIA 26 – 3a. feira:

- 9:00h – Casa de Petitinga – FEEB (Centro Histórico);

- 19:00H – C.E. PAULO e ESTEVÃO (PITUBA);

DIA 27 – 4a. Feira:

- 8:30h – Casa de Orações Bezerra de Menezes – COBEM;

- 19:30h – Federação Espírita do Estado da Bahia (sede nova/Iguatemi);

Dia 28 – 5a. feira – 18:00h – C.E. DEUS, LUZ e VERDADE.

Palestra sobre Educação do Ser na FEESP

Palestra sobre Educação do Ser na FEESP

Na tradicional reunião pública dos domingos pela manhã na sede da Federação Espírita do Estado de São Paulo, em São Paulo, no dia 24 de novembro, a palestra foi proferida por Célia Maria Rey de Carvalho (ex-diretora da FEB e da USE-SP). Perante auditório lotado a visitante abordou o tema "Educação do Ser". Houve apresentação da pianista Denise Perez Manzo. O esposo Cesar Perri foi convidado para compor a mesa e proferir a prece de abertura. Entre os presentes, os amigos Osvaldo Magro Filho (de Araçatuba) e Sheila Maria (do CCDPE, São Paulo).
 

Deusa Samu lançou livro sobre Luto

Deusa Samu lançou livro sobre Luto

Na noite do dia 20/11 a psicóloga espírita Deusa Samu, lançou o livro "Indo Além do Luto", realizando duas Rodas de Conversa sobre o tema do livro com o recinto lotado. Houve autógrafos e café-e-bolo. O evento ocorreu no Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa Espírita, em São Paulo. Flávio e Célia Rey de Carvalho, Júlia Nezu estavam entre os participantes.

Palestra sobre Paulo de Tarso em Pinheiros

Palestra sobre Paulo de Tarso em Pinheiros

O Centro Espírita Lázara da Conceição, localizado no Bairro Pinheiros, em São Paulo, promoveu palestra na noite do dia 21 de novembro, tendo como convidado Antonio Cesar Perri de Carvalho (ex-presidente da USE-SP e da FEB). O visitante abordou o tema programado “Paulo de Tarso e a história do cristianismo primitivo”, com base em seus livros editados por O Clarim: “Epístolas de Paulo à luz do Espiritismo” e “Cristianismo nos séculos iniciais. Análise histórica e visão espírita”. Estavam presentes frequentadores dos cursos oferecidos pelo Centro.

Um olhar diferente acerca das aflições humanas

Um olhar diferente acerca das aflições humanas

Entrevista com Deusa Samu,  por Orson Peter Carrara

Deusa Maria Samú, natural de Piripiri (PI), reside em São Paulo, capital. Psicóloga clínica e hospitalar pós-graduada em Tanatologia, é espírita desde 1990. Vinculada à instituição Seara Bendita, é expositora e coordenadora da Reunião de Pais da Área de Infância e Juventude. Palestrante bastante requisitada, tem-se especializado em falar sobre o luto, com o objetivo de confortar famílias. Suas respostas na presente entrevista abordam essa e outras questões pertinentes às aflições humanas.

P – Como se tornou espírita?

R – Tornei-me espírita na década de 1990 quando minha vizinha me emprestou o livro "A Reencarnação de Perter Proud", um best-seller de Max Ehrlich. Fiquei fascinada, fui estudar e não parei mais.

P – E seu gosto pela Psicologia, como foi?

R – O gosto pela Psicologia foi acidental porque eu queria Psiquiatria, mas como tinha que passar o dia todo na faculdade, e eu tinha um bebê para cuidar, optei pela Psicologia.

P – Donde vem seu interesse pelo luto, tema constante de suas abordagens?

R – O interesse pelo luto veio após o desencarne do meu segundo filho, Rafael. Eu já havia optado pela área hospitalar e queria muito intermediar a interação entre equipe médica e família.

P – Que fato mais lhe chama atenção nas aflições humanas?

R – O que mais me chama a atenção nas aflições humanas é a percepção da falta de Deus na vida das pessoas. Independente de religião, esse é um ponto crucial.

P – Nos atendimentos profissionais e mesmo nos atendimentos fraternos da atividade espírita, o que se destaca?

R – Atendendo profissionalmente ou fraternalmente, o que mais se destaca é a ausência de "respostas" na fala das pessoas em sofrimento, que entendo que seja decorrente da ausência de Deus.

P – Há uma maneira eficaz de alterar essa realidade relativa às angústias humanas?

R – Para alterar essa realidade pertinente às angústias, lanço mão da questão 919 de O Livro dos Espíritos, na qual aprendemos que o autoconhecimento é a melhor opção. Entender nossa identidade de espíritos imortais temporariamente na carne é decisivo para refinarmos nossa atuação no mundo.

P – Qual é sua percepção da atuação do movimento espírita em favor das criaturas humanas que frequentam e participam dos centros espíritas?

R – A atuação do movimento espírita é de crucial importância porque aparelha as pessoas para lidar melhor com os desafios típicos de um planeta de provas e expiações.

P – Se pudesse algo sugerir aos espíritas, o que seria?

R – Minha sugestão aos espíritas seria o estudo aprofundado da doutrina e usaria também a frase de Emmanuel: "Fazer é a melhor maneira de aconselhar". Logo, praticar o que se prega aponta para a vitória da coerência.

P – De suas lembranças, que fato sobressai?

R – Das minhas lembranças o que sobressai é a percepção clara da presença dos bons espíritos me inspirando a ir muito além da técnica e me aproximar da dimensão humana do irmão que me procura. Eu não vejo o "paciente" e sim um "irmão".

P – Algo mais que gostaria de acrescentar?

R – Eu acrescento aqui a necessidade de não "separarmos" a nossa fé e os postulados dessa doutrina abençoada da nossa prática profissional. De outra forma, é preciso evitarmos "dupla personalidade".

P – Suas palavras finais.

R – Minhas palavras finais seriam dizer da minha gratidão por esta oportunidade e apelar para você que lê minhas palavras: Conceber Deus e assumir sua identidade de espírito imortal, vivenciando o Amor em todas as oportunidades que se lhes apresente, é a melhor opção que você pode fazer hoje. A frase que mais ouço (atendendo pacientes terminais) é: "não deu tempo"; então o tempo é hoje, agora.

Transcrito de:

Revista digital O Consolador, edição 645, de 17 de novembro de 2019: http://www.oconsolador.com.br/ano13/645/entrevista.html

Indo além do luto

Resenha

Indo além do luto

Livro de autoria de Deusa M. Samú, espírita militante radicada em São Paulo e que atua profissional como psicóloga clínica e hospitalar, pós-graduada em Tanatologia.

Lembrando que Tanatologia é o estudo da morte e do morrer. E a autora comenta: "sempre que você vivenciar uma perda, qualquer perda, de qualquer tipo, estará entrando no processo de luto". 

O livro Indo além do luto se divide em duas partes: Falando do luto enquanto processo e suas fases, explicando-as de maneira didática; Casos clínicos variados, sendo alguns ilustrativos, do processo de luto.

A autora considera também o luto por alguém não falecido e o luto na Síndrome do ninho vazio. E entra em detalhes sobre a criança e o luto, pertences do falecido, o velório, a questão do cremar ou enterrar. Aborda também as visões de leito de morte, e, as várias fases do luto. O livro é enriquecido com os comentários de casos clínicos.

Em 127 páginas, Deusa Samú compartilha "a experiência diária, atendendo a irmãos em sofrimento. Sou só gratidão". Em vários momentos a autora enfatiza a frase de Emmanuel: "Se não compreenderes a dor do teu irmão, fatalmente terás que passar por ela" (psicografia de Chico Xavier).

No Prefácio, Ercília Zilli – presidente da ABRAPE -, recomenda: "livro vai proporcionar momentos de grande reflexão e aprimoramento!". 

Informações:

https://www.facebook.com/institutodeusasamu;

www.deusasamu.com.br

 

 

Tua Mente

Tua Mente

Entre os cuidados devidos ao corpo e a alma, recordemos o problema da habitação.

Quanto mais instruída a pessoa, mais asseio na moradia.

Nem sempre a residência é rica do ponto de vista material.

Vê-se, aí, contudo, limpeza e ordem, segurança e bom gosto.

É imperioso porém, que o senso de higiene e harmonia não se fixe, unicamente, no domicilio externo.

Necessário que semelhante preocupação nos alcance o pouso íntimo.

A mente é a casa do espírito.

Como acontece a qualquer vivenda, ela possui muitos compartilhamentos com serventia para atividades diversas.

E, às vezes, sobrecarregamos as dependências de nosso lar interior com idéias positivamente inadequadas as nossas necessidades reais.

Quando preconceitos enquistados, teorias inúteis, inquietações e tensões, queixas e mágoas se nos instalam por dentro, dilapidamos os tesouros do tempo e as oportunidades de progresso, de vez que impedimos a passagem da corrente transformadora da vida, através de nossas próprias forças.

Sabemos que uma casa, por mais simples, deve ser arejada e batida de sol para garantir a saúde.

Ninguém conserva lixo, de propósito, no ambiente familiar.

Qualquer perturbação no sistema de esgoto ou na circulação de energia elétrica representa motivos para assistência imediata.

Desde épocas remotas, combatemos a escuridão.

Da tocha à candeia, da candeia à lâmpada moderna, esmera-se o homem na criação de recursos com que se defender contra o predomínio das trevas.

Pondera quanto a isso e não guardes, ressentimentos e nem cultives discórdias no campo da própria alma.

Trabalha, estuda, faze o bem e esquece o mal, afim de que te arregimentes contra o nevoeiro da ignorância.

Tua mente, tua casa intransferível.

Nela te nascem os sonhos e aspirações, emoções e idéias, planos e realizações.

Dela partem as tuas manifestações nos caminhos da vida, e de nossas manifestações nos caminhos da vida depende o nosso cativeiro à sombra ou a nossa libertação para a luz.

Emmanuel

(Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito Emmanuel. Alma e Coração. São Paulo: Pensamento)