ENCONTRO DE TRABALHADORES DO GRUPO ESPÍRITA CASA DO CAMINHO

ENCONTRO DE TRABALHADORES DO GRUPO ESPÍRITA CASA DO CAMINHO

Na tarde do dia 07 de abril ocorreu um Encontro de trabalhadores voluntários do Núcleo de Desobsessão do Grupo Espírita Casa do Caminho, em São Paulo. O evento foi coordenado por Margarete Monteiro. A atividade foi iniciada com apresentação de coral, seguida de prece pelo presidente Régis Lang e exposição sobre as atividades da Instituição. O tema central foi "Diálogo na Mediunidade", conduzido por Antonio Cesar Perri de Carvalho e com a atuação de Célia Maria Rey de Carvalho, abrindo-se espaço para perguntas e respostas. Houve também manifestação de entidade orientadora do Grupo e homenagens a antigos colaboradores da “Casa do Caminho”. Ao final desenvolveu-se interessante dinâmica intitulada “Prescrição Médica”. Os participantes participaram de um lanche.

Revista Espírita em francês comenta adulterações de A Gênese

Revista Espírita em francês comenta adulterações de A Gênese

A Revista Espírita, edição em francês (Revue Spirite, 1º. Trimestre de 2018, p.36-42), trouxe a matéria intitulada “Face O legado de Allan Kardec” onde informa que “Le Mouvement Spirite Francophone” lançou, em coordenação com o Conselho Espírita Internacional, uma nova edição comemorativa de A Gênese, coerente com as quatro primeiras edições do Allan Kardec, e com o preço de 7,50 Euros.

A Revue Spirite comenta também:

“Este livro contém, pois, a quintessência do pensamento de Allan Kardec, escritas após a maturação das idéias iniciais pelas reações dos leitores da Revista Espírita, onde Allan Kardec previamente havia publicado em vários capítulos, e também pela concordância e a universalidade do ensino dos Espíritos. No momento, vários pesquisadores espíritas pelo mundo (Uruguai, Argentina, Colômbia, Brasil, Estados Unidos e França) têm realizado pesquisas sobre o assunto, por vezes de forma independente uns dos outros, e todos têm estabelecido que existe uma dúvida legítima sobre a edição atual de A Gênese, que está de acordo com o 5ª. edição publicada em 1872, ou seja depois do desencarnação de Allan Kardec. Com efeito, todas as biografias afirmam que a 5ª. edição está conforme com a 4ª. publicada em 1868, mas o exame pormenorizado mostra que este não é o caso, a 4ª. são idênticas para as três primeiras, todas publicadas por Allan Kardec em 1868 e 1869. O texto da 5ª. edição, portanto, teria sido alterado depois da desencarnação de Allan Kardec.

Para mais detalhes, ver nesta revista a tradução do último capítulo do livro "El legado de Allan Kardec", com a permissão da autora Simoni Privato Goidanich, que reside no Uruguai.

Esta adulteração já havia sido denunciada por Henri Sausse, em um artigo intitulado "Uma infâmia", publicado na revista Le Spiritisme em 1884, época em que Leymarie, claramente sucumbiu ao conflito de interesses e a influências prejudiciais de entidades espirituais inimigas do bem, tinha se desviado das bases do espiritismo e das instruções de Allan Kardec, para desgosto de muitos espíritas sinceros, incluindo Gabriel Delanne e Léon Denis, que fundaram a União Espírita Francesa, com o consentimento de Amélie Boudet pouco antes de sua desencarnação em Janeiro de 1883.

Voltaremos com mais detalhes sobre esses episódios do movimento espírita da França, depois da desencarnação de Allan Kardec, que têm sido objeto de várias pesquisas publicadas em dois livros em português, um terceiro está em preparação.”

Observações do GEECX:

Também a edição em inglês da citada revista – Spiritist Magazine (Revista Espírita), publicada nos EUA, número abril-junho de 2018, p.16-21 -, publicou o artigo "In search of Allan Kardec’s legacy", de autoria de Simoni Privato Goidanich, (http://grupochicoxavier.com.br/alteracoes-de-a-genese-em-revista-em-ingles/)

O livro de Simoni Privato Goidanich, já está disponível em portugês, edição da USE-SP/CCDPE.

Jovens de Goiás realizam Encontro

Jovens de Goiás realizam Encontro

Jovens de Goiás realizaram o 30o. Encontro de Evangelizadores Espíritas Através da Arte, tendo como tema central "Vida". O evento foi realizado no Centro Espírita Maria de Nazaré, da Associação Campo da Paz, no município de Faina, de 29 a 31 de março. Houve participação de mais de 200 jovens, de 21 mocidades espíritas e provenientes de 16 municípios goianos. Foi promovido pela Área de Juventude do Conselho Federativo Estadual da FEEGO.

Descoberto acervo raro de Chico Xavier

Memorial Chico Xavier em Uberaba recebe acervo raro descoberto após mais de 50 anos

Um acervo raro com vários jornais, revistas, fotos, livros e manuscritos datilografados sobre o médium Chico Xavier e a doutrina espírita, que foi encontrado em setembro de 2017 em Uberaba, passa por restauração. O material estava trancado em um cômodo de imóvel da Comunhão Espírita Cristã – o primeiro centro que Chico fundou em 1959, quando chegou à cidade mineira. Para os responsáveis pelo trabalho e pela descoberta, o achado já pode ser considerado um patrimônio para o município e para a religião espírita, já que guarda informações de todos os tipos da década de 1960. Um dos materiais mais importantes é a planta de um “museu” que está carimbada com o nome do arquiteto Oscar Niemeyer. A surpresa para os pesquisadores em relação a este projeto foi descobrir que na época Chico Xavier e outros adeptos da doutrina já pensavam em construir algo bem parecido com o atual Memorial, que seria chamado de “Exposição Espírita Permanente”. O projeto arquitetônico seria de autoria de Oscar Niemeyer

Informações: https://g1.globo.com/mg/triangulo-mineiro/noticia/memorial-chico-xavier-em-uberaba-recebe-acervo-raro-descoberto-apos-mais-de-50-anos.ghtml

Observação do GEECX: A Coleção Anuário Espírita do IDE, nos anos 1960 sempre trazia informações sobre o projeto de Chico Xavier para a Exposição Espírita Permanente.

Dia de Chico com os romances de Emmanuel

Dia de Chico com os romances de Emmanuel

No dia 2 de abril, a data de nascimento de Chico Xavier  foi comemorada no Grupo Espírita Batuíra, em São Paulo, dentro da programação do XII Ciclo de Palestras Espíritas. À tarde houve apresentação de Oceano Vieira de Melo sobre o tema: "Chico Xavier: Caso Humberto de Campos". À noite, houve palestra de Antonio Cesar Perri de Carvalho, ex-presidente da FEB e da USE-SP, sobre o tema "O papel dos romances históricos de Emmanuel", houve apresentação da pianista Elisa Corazza Galassi. Ocorreram autógrafos dos livros dos expositores.

Informações: geb.org.br/

EM AÇÃO ESPÍRITA

EM AÇÃO ESPÍRITA

A Doutrina Espírita, patrocinando-nos melhoria e aprimoramento, convida-nos a todos, na ordem espiritual de nossas atividades, à realização de serviços indispensáveis ao socorro de nós mesmo, tais quais sejam:

Procurar tanto a paz, na seara da fraternidade e da luz, que não encontremos quaisquer meios de cultiva a perturbação e a discórdia.

Selecionar tanto as palavras de encora jamento e otimismo, auxílio e esperança, que não achemos em nosso dicionário pessoal aquelas outras que se fazem capazes de conturbar ou ferir.

Estimar tanto as oportunidades de auxiliar algué m, que não venhamos a interpretar esse ou aquele encontro por obra do acaso, e sim por bendito ensejo que a Direção da Vida nos faculta, a fim de colaborarmos na felicidade dos semelhantes.

Resguardar tanto a confiança na Divina Providência que não vejamo s em nossas dificuldades senão bênçãos, através das quais ser-nos-á possível demonstrar a própria fé.

Compreender tanto a importância do estudo e do trabalho que não disputemos essa ou aquela hora de repouso, senão por terapêutica de reajuste ou refazimento.

Respeitar tanto a liberdade dos outros que nunca nos lembremos de lhes impor os nossos pontos de vista, em circunstância alguma.

Anotar tanto os graus diferentes de evolução e de experiência dos nossos irmãos na jornada terrestre, que jamais nos recordemos de lhes exigir o mínimo tributo de carinho ou de gratidão por serviço que, porventura, lhes tenhamos prestado.

Admitir tanto a necessidade do bem, para que se garanta a felicidade geral, que não tenhamos o menor interesse em pensar ou falar isso ou aquilo que favoreça a extensão do mal.

Crer tanto no imperativo do próprio aperfeiçoamento que não disponhamos de ocasião par ver as faltas ou defeitos do próximo.

Preservar tanto a tranquilidade de consciência que não hesitemos em repelir a obtenção de vantagens ou a realização de caprichos capazes de arremessar-nos em remorso ou inutilidade, desânimo ou obsessão.

Permaneçamos convencidos de que os planos do Reino de Deus procedem dos Céus, mas, a construção do Reino de Deus é serviço que se realiza na Terra mesmo, começando na vida e na área de cada um.

Emmanuel

(Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito Emmanuel. Doutrina de luz. Cap.Em ação espírita. São Bernardo do Campo: GEEM)

Homenagens a Chico Xavier no Piauí e São Paulo

Homenagens a Chico Xavier em São Paulo e no Piauí

A União Municipal Espírita de Parnaíba (Pi) promove a XVII Semana Espírita Chico Xavier, com palestras nos dias 2 até 7 de abril, em rodízio pelos centros espíritas, encerrando no auditório da UESPI.

Dia 2 de abril, à noite, em São Paulo, homenagens no dia de nascimento de Chico Xavier: – no Centro Espírita União com entrevista com Nena Galves; – no Grupo Espírita Batuíra, com palestra de Antonio Cesar Perri de Carvalho, sobre o tema "Os romances históricos de Emmanuel".

 

A USE Intermunicipal de Itapeva conclui sua programação em homenagem a Chico Xavier no dia 8 de abril, com palestras por Wagner Tadeu Dias e Allan Vilches, no Serviço Assistencial Espírita Dona Lurdinha, em Itapeva (SP).

E os congressos espíritas?

E os congressos espíritas?

Antonio Cesar Perri de Carvalho (*)

Historicamente, e de início, lembramos que monumentais obras surgiram em função dos primitivos Congressos Internacionais, como Depois da morte, de Léon Denis, e, Animismo ou espiritismo, de Ernesto Bozzano.

Evento marcante e pioneiro foi promovido pelo presidente da FEB Leopoldo Cirne para comemorar o centenário de nascimento de Allan Kardec, em 1904, e discutir propostas de união, quando surgiu o documento “Bases de Organização Espírita“.

Do 1º Congresso Espírita de São Paulo (1947) nasceu a União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo. (1)

O 1º Congresso Espírita de Unificação Espírita (1948) gerou propostas para a união dos espíritas brasileiros. (2)

No Congresso Nacional Espírita da Espanha (1992) foi aprovada a criação do Conselho Espírita Internacional. Vários congressos espíritas tiveram temas vinculados à comemoração de significativas efemérides do movimento espírita.

Desde os tempos de estudante universitário e como jovem espírita frequentamos congressos. Nas duas condições tivemos a oportunidade de vivenciar excelentes momentos de aprendizagem, intercâmbio e de confraternização. Também vivemos diferentes oportunidades de participar do planejamento e da organização de congressos nas áreas acadêmicas e espíritas. Em razão dessa vivência diferenciada e que atingiu várias décadas, atualmente observamos os congressos espíritas num misto de admiração e de muita preocupação.

Entre momentos e fatos marcantes, em que pesem os convites a lideranças e expositores expressivos no conhecimento doutrinário, nota-se que os congressos espíritas estão passando por situações e alterações preocupantes.

No tocante a temas e expositores, ocorrem algumas situações que dão a impressão do “mesmismo”, ou seja, programas com temas pomposos, dissociados das maiores demandas do movimento espírita; a repetição de grupos de expositores ao longo dos congressos promovidos pelas mesmas instituições, e, até algumas exaltações de egos. Mesmo que o evento não tenha as características do real conceito de “congresso” – geralmente ligado a conclusões deliberativas ou reunião que visa tratar de determinados assuntos, comunicar trabalhos, apresentar propostas ou trocar idéias -, espera-se que os eventos, com qualquer designação que tenha, tragam contribuições efetivas, com repercussões frutíferas às pessoas e ao movimento espírita. Há vários indícios de tendências de elitização, ou, pelo menos, de dissociação da realidade do movimento espírita. Escolha de recintos, muitas vezes pomposos e de alto custo de locação. Existência de “salas vip” para atendimento de convidados. Em alguns casos, até agentes de segurança cercando convidados. Comercialização de muitos produtos, lembrando até “feiras”, incluindo livros não necessariamente espíritas. Eventos planejados para gerar fonte de receita para a entidade promotora. Valores de taxas de inscrição altos, em geral acima das condições do espírita em geral.

Sem dúvida, nesse contexto, o ambiente de fraternidade, simplicidade e espontaneidade ficam diminuídos.

Todavia, há também diversos esforços interessantes. Tomamos a liberdade de destacar três episódios ligados a congressos espíritas; nos dois primeiros casos atuamos como dirigente da entidade promotora; respectivamente como presidente da USE-SP e da FEB, e no último relato na condição de convidado.

O primeiro episódio: nos idos de 1992, a União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo promoveu o 8º Congresso Estadual de Espiritismo, em Ribeirão Preto. Foi definido que o público alvo seria o dirigente e colaborador de centro espírita, justamente para tratar do tema central – centro espírita. Os coordenadores de cada sala /item de estudo, eram dirigentes de instituições do próprio Estado. No início do Congresso, os participantes receberam um caderno já contendo o resumo de todos os temas tratados. Em seguida ao evento a USE-SP promoveu seminários no Estado com o objetivo de multiplicar os temas abordados, já disponíveis também em fitas de vídeo cassete, que eram utilizadas na época. (1)

O segundo: por ocasião dos 150 anos de O evangelho segundo o espiritismo, em 2014, a FEB promoveu o 4º Congresso Espírita Brasileiro. Ocorreram alguns diferenciais: rompendo com a realização de eventos nacionais centralizados, o Congresso foi efetivado simultaneamente em quatro regiões do país: Manaus, Campo Grande, Vitória e João Pessoa, o que facilitou e ampliou a presença de espíritas de todas as partes do país. Embora o programa fosse comum, os expositores convidados foram selecionados em reuniões das Comissões Regionais do Conselho Federativo Nacional (CFN), incluindo a participação de conferencistas das regiões. Na escolha de sedes para os eventos, deu-se preferência a locais mais simples e menos custosos. A grande novidade foi que os congressistas, durante os eventos, recebiam em livros da FEB (preço de capa) o valor da taxa de inscrição previamente paga. Destacamos que o citado Congresso foi superavitário conforme prestação de contas apresentado ao CFN da FEB em 2014. (2)

E finalmente o terceiro: em junho de 2017, a comemoração dos 70 anos de fundação da USE-SP teve como ponto alto a realização do 17º Congresso Estadual de Espiritismo, na cidade de Atibaia. Além de palestras e salas com work shops temáticos, o diferencial foi a realização de “rodas de conversa” vinculadas ao tema central: “Passado, presente e futuro em nossas mãos”, Foram escolhidos seis temas para tais “rodas”, bem ligados a questões do centro e do movimento espírita: Qualidade doutrinária na literatura espírita; Práticas estranhas no centro espírita; Teorias científicas e Espiritismo; Sexualidade e afetividade; Política e Espiritismo; O desafio de educar além de instruir no centro espírita. Para atender a todos congressistas que se inscreviam em um tema, cada “roda de conversa” foi realizada em dois horários. No último dia, os coordenadores das “rodas de conversa” apresentaram em plenário a síntese das discussões e as conclusões ou recomendações de seus grupos. Ouvimos muitas manifestações destacando a oportunidade e o valor iniciativa.(3)

Isso posto, parece-nos que é chegado o momento para reflexões, avaliações e, provavelmente, o redirecionamento dos congressos espíritas.

Afinal, realizamos congressos espíritas por quê? Como? Para quê?

Fontes:

1) Carvalho, Antonio Cesar Perri. História da USE [palestra]. 17o Congresso Estadual da USE-SP. Junho de 2017.

2) 4o Congresso Espírita Brasileiro. Reformador. Junho de 2014. P.53-57.

3) Carvalho, Antonio Cesar Perri. Práticas estranhas no centro espírita. Revista internacional de espiritismo. Setembro de 2017.

(*) – Ex-presidente da USE-SP e da FEB.

Extraído de: Carvalho, Antonio Cesar Perri. Congressos espíritas: por quê? como? para quê? Revista Internacional de Espiritismo, Ano XCII, No. 12, janeiro de 2018. P.626-627.

Alterações de A Gênese em revista em inglês

Alterações de A Gênese em revista em inglês

Artigo de Simoni Privato Goidanich, In search of Allan Kardec’s legacy, publicado na Spiritist Magazine (Revista Espírita), edição em inglês publicada nos EUA, número abril-junho de 2018, p.16-21. Simoni relata o conteúdo de seu livro O legado de Allan Kardec, com edições em espanhol (CEA, 2017) e em português (USE-SP/CCDPE, 2018), sobre as alterações no conteúdo de A gênese, a 5ª edição francesa do ano de 1872, e que serviu de base para as traduções em vários locais, inclusive no Brasil.

Acesso:

https://storage.googleapis.com/wzukusers/user-29522141/documents/5ab51d9652cdfhUkwCGN/41.pdf

União com visitas e apoios

União com visitas e apoios

O Instituto Espírita Bezerra de Menezes, de Niterói, tradicionalmente promove algumas caravanas por ano para visitas a centros espíritas do interior do Estado. Nos dias 30 de março a 1o. de abril, visitaram o G.E. João Hespanhol, em Santa Maria Madalena (fotos), Cordeiro, Carmo, Porto Velho do Cunha, Duas Barras, São João da Barra, Itaboraí, saindo de Niterói e São Gonçalo. Com o tema central "Espiritualidade nas relações", ocorreram palestras pelo convidado Vinicius Lima Lousada (RS); Hélio Ribeiro Loureiro coordenou a caravana e também psicografou algumas mensagens. Informações: http://www.iebm.org.br/