Parâmetros e diretrizes para estudo dos versículos do livro O Evangelho segundo o Espiritismo

Vídeo: Parâmetros e diretrizes para estudo dos versículos do livro O Evangelho segundo o Espiritismo – por Flávio Rey de Carvalho. Apresentação no CCDPE – Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa Espírita, em São Paulo, no dia 29/10/2017. Seminário sobre "Estudo de O Evangelho segundo o Espiritismo" (Parte 3/4).

Obs.: a Parte 4/4 era referente a perguntas variadas. Não está publicada.

ACESSE:

PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO DOS ESPÍRITAS NO BRASIL

TÃO RICOS E TÃO ESCOLARIZADOS? O PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO DOS ESPÍRITAS NO BRASIL

LUIZ ANTONIO CHAVES DE FARIAS, LEANDRO BLANQUE BECCENERI, FLÁVIA VITOR LONGO e LIVAN CHIROMA

Resumo:

Nos últimos 30 anos, o Brasil apresentou mudanças no perfil religioso de sua população. Neste novo contexto, destacam-se os seguidores da doutrina espírita, que apesar do volume reduzido em comparação com outros grupos religiosos, apresentaram uma maior taxa de crescimento nas três últimas décadas. O objetivo deste estudo foi elaborar o perfil sociodemográfico dos espíritas brasileiros para verificar se, de acordo com o senso comum e com a mídia, esse grupo religioso é mais escolarizado e mais rico que outros grupos religiosos brasileiros. Considerando as hipóteses sobre o perfil do espiritista brasileiro mencionado acima, a análise atual utiliza os microdados dos Censos de 1991, 2000 e 2010, referentes à idade, sexo, escolaridade e composição familiar, além do uso de técnicas de padronização, para tentar responder se, afinal, os espíritas são mesmo mais escolarizados e ricos em comparação com os seguidores de outras religiões. Os resultados mostram que os espíritas apresentam as pirâmides etárias mais envelhecidas, assim como o maior valor do Índice de Envelhecimento (I.E.). Outro ponto a se destacar é a predominância de adeptos do sexo feminino, especialmente a partir da faixa etária de 15 a 19 anos. O indicador de rendimento, reconhecidamente a partir da leitura sobre o tema, tende a manter uma correlação positiva com o indicador de nível de instrução, guardadas certas exceções. Ou seja, quem tem mais escolaridade, tende a possuir maior renda. Os arranjos domiciliares mostraram a predominância de casais sem filhos e de mulheres sem cônjuge e com filhos, sendo esta uma característica marcante da Segunda Transição Demográfica. Entretanto, esses resultados ainda não respondiam à pergunta deste trabalho, sendo para isso necessário utilizar técnicas de padronização para se proceder com a análise comparativa do nível de escolaridade dos grupos religiosos aqui considerados. Após a aplicação dessa técnica, verificou-se que os espíritas continuaram o grupo mais escolarizado, com os evangélicos pentecostais mantendo-se com a menor escolaridade, em relação aos adeptos dos outros grupos religiosos analisados.

Assim sendo, os dados aqui utilizados permitiram abordar a questão sobre a maior escolaridade e elitização dos adeptos do Espiritismo, indo além de um recorte exclusivo por renda. É importante ressaltar que o trabalho serve como ponto de partida para um estudo mais detalhado sobre as características deste grupo religioso, não pretendendo aqui esgotar tal tema. Cabe ainda destacar que o trabalho contribui com análises demográficas e estatísticas na elaboração e compreensão dos perfis dos grupos religiosos brasileiros, além de apresentar resultados importantes na abordagem desse tema de pesquisa.

Extraído de:

Farias, Luiz Antonio Chaves et al. Tão ricos e tão escolarizados? O perfil sociodemográfico dos espíritas no Brasil / Luiz Antonio Chaves de Faria; Leandro Blanque Becceneri; Flávia Vitor Longo; Livan Chiroma. Textos NEPO 80. Campinas, SP: Núcleo de Estudos de População “Elza Berquó” / Unicamp, 2017.

ACESSO internet:

Tão ricos e tão escolarizados? O perfil sociodemográfico dos espíritas no Brasil

Por quê o Espiritismo não progrediu na França?

Por quê o Espiritismo não progrediu na França?

Vídeo “Espiritismo à francesa. A derrocada do movimento espírita francês pós-Kardec”

Produção da Luz Espírita, de janeiro de 2018, põe em pauta uma das questões mais curiosas (e um tanto controversa) acerca dos desdobramentos da continuação da obra de Allan Kardec na França, logo após sua desencarnação, cujo resultado foi, já no começo do século XX, o enfraquecimento e desaparecimento quase absoluto do Espiritismo, tanto na França, seu berço, quanto na Europa e outras regiões do mundo.

ACESSE NO LINK E ASSISTA O DOCUMENTÁRIO:

Decisão

DECISÃO

Francisco Habermann (*)

Fiquei impressionado com declaração de ilustre Procuradora de Justiça aposentada que confessou: “cansei de enxugar gelo”.

Referia-se ela à interminável tarefa de conferir as legalidades e, invariavelmente, encontrar irregularidades, falcatruas, desvios, marcas de desonestidades e outras mazelas do procedimento humano diante das instituições governamentais. Não raro de complicadas consequências à sociedade. Na defesa do Estado, cumpriu suas tarefas honradamente, foi homenageada pelo trabalho brilhante realizado sob sua atuação profissional ilibada, mas não quis permanecer na ativa. Pediu sua merecida aposentadoria.

De volta à sua cidade natal, ocupou-se com atribuições voluntárias – como faz até hoje – dirigindo instituições de amplo alcance social e caritativo. Granjeia enorme prestigio social e significativo apoio da comunidade em seus projetos. Um exemplo de pessoa.

Por felicidade, conhecia-a desde sua juventude quando ela, cursando a Escola Normal ( formação pedagógica ), frequentava outro simultâneo da época, o curso Clássico. Aluna brilhante que sempre fora, atuou como professora enquanto se preparava para o ingresso em curso superior. Foi admitida na Faculdade de Direito da USP ( São Francisco ), na capital. Formou-se e, com mestrado e doutorado acadêmico realizados com destaque, fez brilhante carreira na Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo Estadual.

Um dia, resolvi convida-la para fazer uma palestra-homenagem aos formandos de um curso superior na área biológica. Fiquei entusiasmado quando aceitou o convite. Criou-se uma expectativa. Salão ornamentado, Congregação da Instituição acadêmica presente, seus diretores à frente, professores e os formandos, todos engalanados. Após as formalidades cerimoniais, o dirigente máximo da solenidade convida-a para o pronunciamento tão esperado. Nestas ocasiões solenes, o expositor se dirige aos formandos. Trata-se de formal cumprimento pela conquista realizada e também a oportunidade de uma última recomendação, uma derradeira aula. Foi o que se seguiu.

Do auditório, ouvia-se apenas o ruído da respiração quase suspensa do grupo de formandos. Todos de olhar fixo na oradora, mulher imponente, respeitada e muito simpática. “Meus queridos e amados discípulos desta Instituição renomada”. Um sorriso se abriu no semblante dos formandos, delas e deles. Fui testemunha desta belíssima cena. E também da seguinte. “Vocês, agora, têm um desafio na vida profissional. Deverão reavaliar o significado de seus títulos, diplomas, medalhas, atestados…” Ficaram todos muito sérios perante a surpresa do anúncio. Estava só começando. E continuou: “Na vida, o que vale é o que produzimos com o coração, com os sentimentos, com amor, com a compaixão sincera, respeitada sempre a ética. Nada disso é representado com papeis, diplomas, metais, placas, riquezas acumuladas ou outras marcas materiais…” Disse muito mais, mas sua recomendação final marcou-me: “A cor destas ações éticas que emanam do coração é a da honestidade. Jamais desbota”.

Seria bom que todo o Brasil assim entendesse, especialmente nesta semana decisória. Obrigado, Doutora ( ops… desculpa citar o título! ).

(*) Movimento espírita de Botucatu (SP)

EVANGELHO E ESPIRITISMO

EVANGELHO E ESPIRITISMO

G – Cap. I – Item 41 (*)

Todos aqueles que negam a feição religiosa do Espiritismo, recusando-lhe a posição de Cristianismo Restaurado, decerto, ainda não abarcaram, em considerações mais amplas, a essência evangélica em que se lhe estruturam os princípios, nos mais íntimos fundamentos.

Examinemos, pela rama, alguns dos pontos mais importantes de formação do Testamento Kardequiano: "O Livro dos Espíritos", que se popularizou com mil e dezoito questões, sabiamente explanadas, não obstante os primores filosóficos de que se compõe, é um código de responsabilidade moral, iniciado com duas proposições, acerca de Deus e do Infinito, e rematado com outras duas, que se reportam ao reino de Cristo nos corações e ao reinado do bem, no caminho dos homens.

"O Livro dos Médiuns", volume de metodologia para o intercâmbio entre encarnados e desencarnados, apresenta, de entrada, valiosa argumentação, alusiva à existência do Mundo Espiritual, e reúne, no encerramento, diversas comunicações de individualidades desencarnadas, ao mesmo tempo que nos convida a exame sério e imparcial de todas as mensagens recolhidas do Além, por via mediúnica, salientando-se que a primeira página da seleção exposta começa com significativa advertência de Agostinho: "Confiai na bondade de Deus e sede bastante clarividentes para perceberdes os preparativos da vida nova que ele vos destina".

O Evangelho, segundo o "Espiritismo" abre as próprias elucidações com judicioso apontamento, em torno de Moisés e da Lei Antiga, compendiando, em seguida, os ensinos de Jesus, em todo texto, para concluir, alinhando comovedores poemas de exaltação à prece.

"O Céu e o Inferno", tomo de cogitações francamente religiosas, segundo a definição do título, começa analisando o porvir humano, do ponto de vista espiritual, e termina com o ditado de José, o cego, espírito de evolução mediana que encarece a necessidade do sofrimento no serviço expiatório da consciência culpada e destaca a excelência da reencarnação, na Justiça Divina.

"A Gênese", o livro da Codificação e que enfeixa arrojadas teses de ciência e filosofia, enfileira dezoito capítulos, com mais de cem artigos, dos quais da terça parte se referem exclusivamente a passagens e lições do Divino Mestre, acrescendo notar que a obra principia, aceitando o Espiritismo em sua missão de Consolador Prometido, com a função de explicar e desenvolver as instruções do Cristo, e despede-se com admiráveis reflexões sobre a geração nova e a regeneração da Humanidade.

Cremos de boa fé que todos os companheiros, propositadamente distanciados da tarefa religiosa do Espiritismo, assim procedem, diligenciando imunizar-nos contra a superstição e o fanatismo, que a plataforma libertadora da própria Doutrina Espírita nos obriga a remover, mas, sinceramente, não entendemos a Nova Revelação sem o Cristianismo, a espinha dorsal em que se apoia. Isso acontece, porque, se após dezenove séculos de teologia arbitrária, não chegaríamos a compreender agora, no mundo, o Evangelho e Jesus Cristo, sem Allan Kardec, manda a lógica se proclame que o Espiritismo e Allan Kardec se baseiam em Jesus Cristo, de ponta a ponta.

Emmanuel

(Xavier, Francisco Cândido; Vieira, Waldo. Pelos espíritos Emmanuel e André Luiz. Opinião espírita. Cap. 60. Uberaba: CEC)

(*) – Abreviatura de A Gênese.

Visita a Uberaba

Visita a Uberaba

 

Visita à reunião pública do Grupo Espírita da Prece, à Casa de Memória de Chico Xavier e à Livraria Francisco Cândido Xavier, em Uberaba (MG), realizada no dia 25 de janeiro, por Daniel Rey de Carvalho, ligado à SEIR e ao GEECX (DF). A Casa de Memória e a Livraria funcionam no local onde foi a residência de Chico Xavier e dispõem de farto material e bibliografia sobre Chico Xavier. http://www.chicoxavieruberaba.com.br/; livrariafcx@terra.com.br

Movimento Espírita Francofônico resgata edição original de A Gênese

Movimento Espírita Francofônico resgata edição original de A Gênese.

Argentina lançou em 2017 e Brasil se prepara

O LMSF – Movimento Espírita Francofônico reeditou a 4ª edição de A Gênese (a última edição registrada e publicada por Allan Kardec). O lançamento ocorre nos primeiros dias de fevereiro. Com esta providência resgata a edição original desta obra, antes das alterações realizadas pós-Kardec, na 5ª edição de 1872, e que foi adotada em muitas traduções. A publicação atual é uma iniciativa do LMSF, organismo resultante da união, em nível mundial, de associações representativas de movimentos espíritas nacional da língua francesa, e que tem por objetivo promover o estudo e a difusão da Filosofia Espírita em seus três aspectos fundamentais: científico, filosófico e ético/moral (acesso: www.lmsf.org)

Desde outubro de 2017, a Confederação Espírita Argentina lançou a tradução da 1a. edição francesa de A Gênese.

No Brasil, há informações sobre a preparação da traduação da 1a. edição francesa pelas editoras FEAL/Mundo Maior (SP) e EME (SP).