Preocupações

Preocupações

 

Não se aflija por antecipação, porquanto é possível que a vida resolva o seu problema, ainda hoje, sem qualquer esforço de sua parte.

Não é a preocupação que aniquila a pessoa e sim a preocupação em virtude da preocupação.

Antes das suas dificuldades de agora, você já faceou inúmeras outras e já se livrou de todas elas, com o auxílio invisível de Deus.

Uma pessoa ocupada em servir nunca dispõe de tempo para lembrar injúria ou ingratidão.

Disse um notável filósofo: "uma criatura irritada está sempre cheia de veneno", e podemos acrescentar: "e de enfermidade também".

Trabalhe antes, durante e depois de qualquer crise e o trabalho garantirá sua paz.

Conte as bênçãos que lhe enriquecem a vida, em anotando os males que porventura lhe visitem o coração, para reconhecer o saldo imenso de vantagens a seu favor.

Geralmente, o mal é o bem mal interpretado.

Em qualquer fracasso, compreenda que se você pode trabalhar, pode igualmente servir, e quem pode servir carrega consigo um tesouro nas mãos.

Por maior lhe seja o fardo do sofrimento, lembre-se de que Deus, que aguentou você ontem, aguentará também hoje.

André Luiz

(Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito André Luiz. Sinal Verde. Cap. 25 Uberaba: CEC)

Providência Divina gera interreligiosidade

Providência Divina gera interreligiosidade

Antonio Cesar Perri de Carvalho (*)

O diálogo interreligioso sobre o tema “A Providência Divina em nossas vidas” com base em A gênese (Capítulo II, itens 20 a 37) foi um dos momentos significativos da 38ª Confraternização de Espíritas do Maranhão – CONESMA, promovida pela Federação Espírita Maranhense, nos dias 11 a 13 de fevereiro, na cidade de São Luís.

O reverendo Geraldo Magela, da Igreja Anglicana, citou versículos do Evangelho sobre “as aves do Céu” e os “lírios do campo” e falou sobre o aprimoramento sensibilidade, para “ouvirmos a voz de Deus”, lembrando que Deus age por nosso intermédio.

O ministro Odorico Paula Garcez, da Igreja Messiânica, exemplificou a “oração em ação”, com a aplicação do “Johrey” para o público. Destacou Deus como princípio e algumas leis: do espírito que precede a matéria; de causa e efeito; a identidade do espírito-matéria; da ordem, destacando sempre a grande Natureza.

O pai de santo Tabajara Silva Borges, falando pelas religiões de matriz africana, considerou que este momento é uma providência divina; lembrou que “trocamos de bênçãos” entre os dois planos e destacou que o povo precisa alimentar a alma; afirmou que não interessa a designação dada a Deus, pois o importante é saber interpretar a providência divina.

Expressando-se pelos espíritas, a expositora Heloísa Pires (SP), destacou questões de O livro dos espíritos e itens de A gênese, sintetizando que “Deus é amor”; o papel educativo das nossas encarnações e lembrando que a dor nos desperta para os compromissos com Deus e de construção de nossa felicidade e de uma Terra melhor, enfatizando significados da oração Pai Nosso.

Após as citadas apresentações, os quatro convidados responderam a uma pergunta geral: “Qual a relação entre fé e Providência Divina”?

Incumbido pela organização do evento, coube a nós, procedermos à síntese e às considerações finais. Comentamos o ambiente de harmonia reinante e que as manifestações dos representantes de religiões foi muito interessante pela convergência das abordagens relacionadas com o tema, destacando-se o respeito a Deus, a fé e a apuração da sensibilidade para identificação da Providência Divina, chegando-se a comentar princípios similares ao Espiritismo. Também em respeito aos representantes de outros cultos, relatamos rapidamente o contato que tivemos, em função de afazeres espíritas, com cada uma das religiões representadas.

Na obra sesquicentenária – A gênese – Allan Kardec faz abordagens fundamentais sobre a revelação no Capítulo I e no Capítulo seguinte, sobre Deus, discorre sobre: Existência de Deus; A natureza divina; A providência; A visão de Deus.

Desse Capítulo II, destacamos trechos do Codificador:

“A ação do Criador na criação é o que chamamos de Providência Divina. […] A Providência é a solicitude de Deus para com suas criaturas. […] Compreendemos o efeito, o que já é muito.”

O diálogo interreligioso na CONESMA, com o tema central “Os tempos são chegados”, foi uma forma criativa e oportuna para se comemorar os 150 anos de A gênese, ensejando oportunidade para se analisar a pertinência de vários pontos abordados pelos representantes de religiões.

(*) Expositor convidado pela FEMAR. Ex-presidente da FEB.

Entrevista Simoni Privato

Entrevista Simoni Privato

Por ELIANA HADDAD

Por que se interessou em pesquisar as alterações de A Gênese?

Simoni Privato: Em matéria doutrinária, o que afirmamos deve estar muito bem fundamentado, ainda mais comrelação a um tema tão relevante, como é o caso do conteúdo definitivo de uma obra fundamental do espiritismo. Meu único propósito foi encontrar a verdade. Não parti de nenhuma opinião pessoal ou ideia preconcebida. Concentrei-me nos fatos, nas provas e nos ensinamentos doutrinários.

Em qual edição foram feitas as alterações?

Simoni Privato: As alterações do texto publicado por Allan Kardec em La genèse, les miracles et les prédictions selon le spiritisme foram feitas na quinta edição, depositada legalmente em 23 de dezembro de 1872 perante as autoridades francesas, ou seja, mais de três anos depois do falecimento de Allan Kardec. As quatro edições anteriores, todas datadas de 1868, têm o mesmo conteúdo – e é esse o conteúdo definitivo da obra.

Mas não existe a possibilidade de o depósito legal ter sido feito bem depois da publicação da quinta edição?

Simoni Privato: Antes da impressão e, portanto, do depósito legal, deveria ser feita uma declaração de que se pretendia imprimir a obra. Segundo os documentos dos Arquivos Nacionais da França, o registro da declaração de que se pretendía imprimir a obra foi feito perante o Ministério do Interior em 19 de dezembro de 1872 pela gráfica Rouge Frères, Dunon et Fresné.

Quais foram as principais alterações?

Simoni Privato: São tão numerosas as alterações que é muito difícil especificar quais seriam as principais. Henri Sausse mencionou 126 passagens que foram modificadas, acrescentadas ou suprimidas. Entre as muitas modificações que sofreu o capítulo 28, por exemplo, está a eliminação de todos os sete parágrafos do item 20 (presente nas quatro edições publicadas por Allan Kardec), que trata do papel do espiritismo na regeneração da humanidade. Também foram eliminados três parágrafos sobre o desaparecimento do corpo de Jesus, no capítulo 15. No capítulo 10, foi acrescentado um parágrafo final no item 23 sobre a geração espontânea,no lugar do parágrafo que havia sido escrito por Allan Kardec, provocando a mudança do teor da conclusão sobre o tema apresentada por ele nas quatro edições de 1868. Uma maneira rápida para confirmar se o texto corresponde ao que Kardec publicou é ver quantos itens tem o capítulo 15. No texto de Kardec é composto por 68 itens.

Você acha que houve má fé? Isso impacta no trabalho realizado pelo Espírito de Verdade?

Simoni Privato: O que se pode constatar, do ponto de vista doutrinário, é que a pessoa ou as pessoas que alteraram o conteúdo de La genèse, les miracles et les prédictions selon le spiritisme não compreendiam a doutrina espírita – nem suas características nem seu papel para a humanidade. O texto publicado por Allan Kardec na obra não é sua opinião pessoal –e, por isso, não deve ser relativizado. É o resultado de muitos anos de estudo, de observação e sobretudo de confirmação segundo os critérios espíritas da razão e da concordância do ensino dos Espíritos, com exceção de algumas teorias hipotéticas, que Allan Kardec teve todo o cuidado de indicar como tais. A alteração do conteúdo publicado por Allan Kardec revela, portanto, uma tentativa de substituir a doutrina dos Espíritos pela opinião de alguma ou de algumas pessoas. A seriedade do trabalho realizado pelo Espírito de Verdade é inabalável.O espiritismo sempre triunfa: é obra de Jesus. Este caso é prova disso.

Diante deste fato, qual deve ser o nosso papel como comunicadores e formadores de opinião no movimento espírita?

Simoni Privato: No processo de restauração do verdadeiro conteúdo de La genèse, les miracles et les prédictions selon le spiritisme, é necessário que haja traduções fiéis, mas também que se esclareça a questão da adulteração e se estimule a união de esforços para que o conteúdo adulterado seja definitivamente substituído pelo que Allan Kardec realmente publicou. Também é preciso incentivar o estudo da obra. Portanto, o papel dos comunicadores e formadores de opinião no movimento espírita é de extrema importância.

Como proceder para que toda seriedade da obra da codificação não seja abalada?

Simoni Privato: A restauração do conteúdo definitivo, de 1868, de La genèse, les miracles et les prédictions selon le spiritisme é fundamental não apenas para essa obra, mas também para as demais de Allan Kardec. A elaboração de La genèse, les miracles et les prédictions selon le spiritisme, que foi publicada quase onze anos depois de O livro dos Espíritos, beneficiou-se do desenvolvimento teórico e prático da doutrina espírita. Seu estudo é indispensável para a compreensão e o estudo aprofundado do conteúdo das obras anteriores– e, portanto, para a devida compreensão, prática e divulgação da própria doutrina espírita. Além disso, para respeitar-se a seriedade das obras de Allan Kardec, é necessário incentivar, como prioritários, o estudo e a divulgação dessas obras, além da prática de seus ensinamentos.

(Correio Fraterno do ABC, Ano 50, No. 479, Janeiro-Fevereiro 2018, p. 9; www.correiofraterno.com.br)

Seminário e livro: 150 anos de A Gênese – O Resgate Histórico – NOVA SEDE

Seminário e livro: 150 anos de A Gênese – O Resgate Histórico

- NOVA SEDE

A União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo (USE-SP), em parceria com o Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo – Eduardo Carvalho Monteiro, Liga de Pesquisadores do Espiritismo (LIHPE) e Site Autores Clássicos Espíritas, promoverá um Seminário com a pesquisadora Simoni Privato Goidanich sobre o seu livro “El legado de Allan Kardec”, lançado recentemente na Argentina, que trata das alterações ocorridas nas edições francesas do livro A Gênese, de Allan Kardec. Haverá um painel para a discussão do tema.

A USE-SP editou em parceria com o CCDPE e estará lançando a versão em português do livro "O Legado de Allan Kardec".

Em função do significativo número de inscritos e interessados, o evento tem novo local de realização. Será no CPOR – Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo, rua Alfredo Pujol, 681, em Santana, na capital paulista, a 1.000 metros do Metrô Santana.

O seminário acontece no domingo, dia 4 de março de 2018, das 8h30 às 13 horas.

Chico com crianças e a Providência Divina

Chico com crianças e a Providência Divina

"Uma vez, em Pedro Leopoldo, eu ensinava catecismo às crianças, mas um dia me proibiram. Eu ensinava catecismo para quarenta crianças… E fui proibido porque me tornara espírita.

Fiquei em casa. Mas as crianças queriam o tio Chico…

Então as famílias levaram as crianças lá em casa. E eu fiquei com muita pena, porque na igreja elas tinham lanche.

Já eram duas horas e eu só tinha água e uns pedacinhos de pão em casa.

Eram quarenta crianças… Como eu iria alimentar aquelas crianças?

Eu fiz uma prece e pedi a Deus que me ajudasse, porque elas não podiam ficar sem comer. Como é que eu iria fazer?

Estávamos embaixo de uma árvore. E, então, um vento muito estranho começou a balançar as folhas da árvore. O vento uivava entre os galhos daquela árvore.

Uma vizinha saiu e perguntou: — Chico, que é isso? Que barulho é esse?

— O vento…

— O vento?!… E essas crianças aí?

— Catecismo!…

— Você não deu nada para elas comerem?

— Não tenho!…

— Oh, Chico! Eu tenho, aqui, bolo e pão.

E a outra vizinha do lado também apareceu e perguntou: — O que foi isso, Chico? Que vento foi esse?

— O vento…

— E essas crianças aí?

— O catecismo…

E assim, doze famílias se reuniram e passaram a oferecer o alimento, o lanche daquelas crianças, por causa do vento.

"Ora e pede. Em seguida, presta atenção. Algo virá por alguém ou por intermédio de alguma coisa, doando-te, na essência, as informações ou os avisos que solicites."

Ah, o vento…"

(Relato repassado por Neusa Assis-Donda-, de Uberaba)

Obs.: fato sobre Chico Xavier jovem, logo após sua conversão ao Espiritismo, em Pedro Leopoldo.

Multidões

Multidões

“Tenho compaixão da multidão.” – Jesus. (Marcos, 8:2.)

Os espíritos verdadeiramente educados representam, em todos os tempos, grandes devedores à multidão.

Raros homens, no entanto, compreendem esse imperativo das leis espirituais.

Em geral, o mordomo das possibilidades terrestres, meramente instruído na cultura do mundo, esquiva-se da massa comum, ao invés de ajudá-la.

Explora-lhe as paixões, mantém-lhe a ignorância e costuma roubar-lhe o ensejo de progresso.

Traça leis para que ela pague os impostos mais pesados, cria guerras de extermínio, em que deva concorrer com os mais elevados tributos de sangue.

O sacerdócio organizado, quase sempre, impõe-lhe sombras, enquanto a filosofia e a ciência lhe oferecem sorrisos escarnecedores.

Em todos os tempos e situações políticas, conta o povo com escassos amigos e adversários em legiões.

Acima de todas as possibilidades humanas, entretanto, a multidão dispõe do Amigo Divino.

Jesus prossegue trabalhando.

Ele, que passou no Planeta entre pescadores e proletários, aleijados e cegos, velhos cansados e mães aflitas, volta-se para a turba sofredora e alimenta-lhe a esperança, como naquele momento da multiplicação dos pães.

Lembra-te, meu amigo, de que és parte integrante da multidão terrestre.

O Senhor observa o que fazes.

Não roubes o pão da vida; procura multiplicá-lo.

Emmanuel

(Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito Emmanuel. Vinha de luz. Cap. 6. FEB)

Diálogo interreligioso sobre A Gênese

Diálogo interreligioso sobre A Gênese

 

Durante a 38ª Confraternização de Espíritas do Maranhão – CONESMA, promovida pela Federação Espírita Maranhense, nos dias 11 a 13 de fevereiro, na cidade de São Luís, um momento significativo foi o diálogo interreligioso sobre o tema “A Providência Divina em nossas vidas” com atuação de representantes: espírita – Heloísa Pires (SP); Reverendo Geraldo Magela, da Igreja Anglicana; ministro Odorico Paula Garcez, da Igreja Messiânica; pai de santo Tabajara Silva Borges, das religiões de matriz africanas; e Cesar Perri (ex-presidente da FEB), encarregado de proceder à síntese. A manifestação dos representantes de religiões foi muito interessante pela convergência das abordagens relacionadas com o tema, destacando-se o respeito a Deus, a fé e a apuração da sensibilidade para identificação da Providência Divina, chegando a comentar princípios similares ao Espiritismo.

Ao final, como relator da síntese, Perri destacou a pertinência dos vários pontos abordados pelos representantes de religiões com o texto de Kardec, nos itens 20 a 37 do Capítulo II de A Gênese. O Reverendo Anglicano enviou significativa nota de agradecimento para a FEMAR. A CONESA teve como tema central “Os tempos são chegados”, com base em A Gênese, com atividades para adultos, jovens (CONEJ) e crianças (Conesminha). Todo o programa foi desenvolvido com atuação de Antonio Cesar Perri de Carvalho (ex-presidente da FEB) e Heloísa Pires (SP), com momentos de arte por Moacir Camargo (SP) e equipe local. Informações: www.femar.com.br; secretaria@femar.org.br

Confraternização do Maranhão estuda A Gênese

Confraternização do Maranhão estuda A Gênese

 

 

A cidade de São Luís sediou a 38ª Confraternização de Espíritas do Maranhão – CONESMA, promovida pela Federação Espírita Maranhense, nos dias 11 a 13 de fevereiro. O tema central “Os tempos são chegados”, com base em A Gênese, foi tratado pelos adultos, pelos jovens (CONEJ) e pelas crianças (Conesminha). Todo o programa foi desenvolvido com atuação de Antonio Cesar Perri de Carvalho (ex-presidente da FEB) e Heloísa Pires (SP), com momentos de arte por Moacir Camargo (SP) e equipe local. Perri desenvolveu o seminário “Os milagres do Evangelho” e Heloísa o seminário “A perda do paraíso”; em conjunto atuaram na mesa redonda “Vossos filhos e filhas profetizarão”. Os dois expositores convidados também falaram e atenderam perguntas na sala dos jovens (CONEJ). A FEMAR promoveu uma reunião com os dirigentes de instituições com Cesar Perri, sobre o tema “União e unificação”, coordenado pelo presidente Osmir Freire, com presença dos dirigentes da FEMAR e da ex-presidente Ana Luísa. Momento significativo foi o diálogo interreligioso sobre o tema “A Providência Divina em nossas vidas” com atuação de representantes: espírita – Heloísa Pires; Anglicano; Messiânico; Cultos Afros; sendo a síntese feita por Perri. A Confraternização, realizada nas Faculdades Pitágoras, teve numerosa presença de espíritas de todo o Estado e o evento contou com livraria, refeições e lanches. O diretor da FEMAR Cristiano de Assis foi o coordenador da CONESMA.

Informações: www.femar.com.br; secretaria@femar.org.br

PRECE E OBSESSÃO

PRECE E OBSESSÃO

G – Cap. XIV – Item 46 (*)

A Providência Divina, pelas providências humanas, sustenta o amparo indiscriminado a todas as criaturas, mas estatui a reciprocidade em todos os processos de ação pelos quais a bondade da vida se manifesta.

°°°

Comparemos a prece e a obsessão ao anseio de saber e ao tormento da ignorância.

O professor esclarece o discípulo mas não lhe dispensa a aplicação direta ao ensino.

E se o aluno é surdo-mudo, mesmo assim, para instruir-se, é obrigado a concentrar muitas das possibilidades da visão e da audição nas sutilezas do tato, se quer assimilar o que aprende.

Recorramos, ainda, à lição viva que surge, entre a doença e o remédio. Administrar-se-á medicamento ao enfermo, mas não se pode eximi-lo do concurso necessário. E se o paciente não consegue ou não deve acolher os recursos precisos, através da boca, é constrangido a recebê-los por intermédio dos poros, das veias ou de outros canais do corpo.

°°°

Todo socorro essencial ao veículo físico reclama a participação do veículo físico.

Ninguém extingue a própria fome pelo esôfago alheio.

Assim, também, nas necessidades do espírito,

Na desobsessão, a prece indica a atividade libertadora, no entanto, não exonera o interessado da obrigação de renovar-se pelo serviço e pelo estudo, a fim de que se areje a casa íntima, de vez que todos aqueles que se acumpliciaram conosco, na prática do mal, em existências passadas, somente se transformam para o bem, quando nos identificam o esforço, por vezes difícil e doloroso, da nossa reeducação, na prática do bem.

°°°

Resumindo, imaginemos o irmão obsidiado, ainda lúcido, como sendo prisioneiro da própria mente, convertida então em cela escura e comparemos o socorro espiritual à lâmpada generosa.

Obsessão é o bolo pestífero transformado em caprichoso ferrolho na sombra.

Oração é luz que acende.

A claridade traça a orientação do que se tem a fazer, mas o detento é chamado a tomar a iniciativa do trabalho para libertar a si mesmo, removendo corajosamente o tenebroso foco de atração.

Emmanuel

 

(Xavier, Francisco Cândido; Vieira, Waldo. Pelos espíritos Emmanuel e André Luiz. Opinião espírita. Cap. 18. Uberaba: CEC)

(*) – Abreviatura de A Gênese.

FATO SOBRE SÃO LUÍS GONZAGA

FATO SOBRE SÃO LUÍS GONZAGA

O número de pessoas que procurava o Chico em seu emprego era cada vez maior e isso foi se tomando um problema muito grande.

José Xavier, seu irmão e companheiro de reuniões espíritas, sugeriu que as pessoas poderiam ser encaminhadas à sua sapataria, onde conversaria com elas até a hora em que o Chico saísse do serviço e pudesse atendê-las.

Assim foi feito. As pessoas passaram a ser encaminhadas para a sapataria de José Xavier. Durante onze anos, José conversou com obsidiados de toda espécie. Muitos chegavam até amarrados.

Certa noite, o espírito de Emmanuel avisou o Chico de que dentro de alguns minutos iriam chamá- lo. O José não estava bem. Quando chamaram, o Chico já se aprontara e foi para a casa de seu irmão.

Seus familiares logo lhe disseram: — Chico, não se preocupe, o médico disse que o José vai voltar. Emmanuel, então, diz ao Chico: — O médico amigo está com a razão. O José vai voltar, mas não irá reconhecê-lo, nem a nenhum outro familiar. Consta de suas provas cármicas que ele deve ficar onze anos num hospício.

Decorridas algumas horas, o Chico viu que vários espíritos formavam um círculo em torno da cama de José.

Perguntou ao espírito de Emmanuel do que se tratava e este informou:

— Vamos pedir ao Senhor que os onze anos que o José conversou com obsidiados em sua sapataria sejam levados em consideração e ao invés de ficar todos esses anos alienado, vamos pedir que ele desencarne já. Mais algum tempo e chegou a resposta autorizando o desencarne. Chico viu José sair do corpo. Era absolutamente igual ao que ficara imóvel.

Alguns meses se passaram. José apareceu ao Chico. — Como está? pergunta-lhe o Chico. — Não muito bem, respondeu-lhe. Parece que meu cérebro não cabe em minha cabeça. Sinto muita tontura. José desencarnou onze anos antes do prazo previsto, com a autorização do Plano Espiritual Superior e estava nessa condição. Imaginem os que vão para lá pelas portas enganosas do suicídio.

Mais alguns meses e o José lhe aparece novamente nas mesmas condições.

Falou-lhe, então, o Chico. — José, hoje é dia de São Luís Gonzaga. E o Santo virá à Terra abençoar toda instituição que tem o seu nome. Certamente vai passar em frente ao Centro Espírita Luís Gonzaga. José para lá se dirigiu. Quando o Santo apareceu, toda a rua ficou iluminada. Era uma luz tão intensa que o José não conseguiu olhá-lo. Ficou de joelhos e começou a orar: — São Luís Gonzaga, eu queria que o senhor me ajudasse a ficar bom. Só quero o meu equilíbrio para continuar conversando com obsessores e obsidiados nas praças públicas, nos bares, nos cinemas, nos clubes. José viu, então, uma mão como se fosse feita de luz que lhe deu um lírio com um perfume indescritível.

Ele aspirou a flor, que desapareceu, penetrando- lhe o nariz. Quando o Santo acabou de passar, continuando sua jornada de luz, José estava completamente restabelecido em seu equilíbrio.

Do Livro "Chico, de Francisco" – Adelino da Silveira Capítulo "SÃO LUÍS GONZAGA" Editora Cultura Espírita União – CEU: http://www.ceu.com.br/