ACORDA E SEGUE

ACORDA E SEGUE

Desde o primeiro instante da Boa Nova, Jesus vem estimulando a mente das criaturas, anestesiadas nos convencionalismos da Terra, para a luminosa aquisição da glória divina.

Na Manjedoura, desperta o espírito popular induzindo-o à simplicidade edificante.

No Templo, desentorpece o ânimo dos doutores.

Nas bodas de Caná, transforma a água em vinho, inspirando indagações novas àqueles que o observam.

No Monte, multiplica pães e peixes, para que a multidão medite nos celeiros da eternidade.

No Poço de Jacob, pede água à mulher samaritana, instilando-lhe a sede das águas vivas.

Nas estradas comuns, reergue paralíticos e loucos, cegos e leprosos, imprimindo-lhes novo rumo à jornada terrestre.

Na desolada casa de Betânia, ressuscita um amigo morto, para que a idéia de imortalidade vibre no santuário familiar.

No Horto, acorda os discípulos adormecidos.

Na cruz, entrega o coração ao Pai Supremo, em dolorosa vigília, a fim de que os seguidores do Evangelho aprendam a morrer no trabalho e no testemunho.

Na Ressurreição, exorta Maria de Magdala a reavivar o bom ânimo, nos companheiros abatidos.

No caminho de Emaús, refaz a coragem e a confiança de dois apóstolos conturbados.

E ainda, nas repetidas reuniões em Jerusalém, ressurge materializado entre os aprendizes, revelando-lhes, nas chagas que Tomé examina, a continuidade do seu ministério de trabalho e renúncia até à perfeição final do mundo.

Meu amigo, se procuras o Cristo, acorda e segue para diante, trabalhando e amando, construindo para o bem e perdoando sempre.

Em verdade, todos os seres da Terra, desde o verme ao sábio, vivem e sentem, alimentam-se e se reproduzem, mas não te esqueças de que somente Jesus é o Doador da Vida Abundante.

Emmanuel

(Xavier, Francisco Cândido. Espíritos diversos. Nosso livro. Cap. Acorda e segue São Paulo: LAKE)

Relatos de trabalho em equipe

Relatos de trabalho em equipe

Antonio Cesar Perri de Carvalho (*)

Ao longo de nossa trajetória pelas ações espíritas sempre contamos com o apoio e participação ativa de equipes.

Nos tempos de gestão junto ao órgão municipal da USE-SP, a União Municipal Espírita de Araçatuba (depois USE Intermunicipal), os companheiros que integraram as diretorias ao longo dos 15 anos em que fomos presidente e as comissões dos departamentos, formavam um grupo coeso de trabalho. Vários egressos das mocidades espíritas da cidade, outros integrantes de diretorias de instituições, mas havia sempre o propósito em favor da difusão do Espiritismo e ações de união dos espíritas. Assim, eram organizados eventos, como Semana ou Mês Espírita, Jornadas, Seminários, Confraternizações Regionais, Clube do Livro Espírita, palestras e visitas a instituições na cidade e região.

A partir de 1971, além da esposa Célia, destacamos companheiros como: Arlindo Módena, Armando Pagan, Clarice Ribeiro, Cláudio Roberto Pagan, Ismael Gobi, Maria Luzia de Almeida Rosa, Meledi Dall’Oca, Miguel Carlos Madeira, Osvaldo Magro Filho e Paulo Sérgio Perri de Carvalho.

Naquele período houve a implantação do Centro de Orientação e Educação Mediúnica (COEM), nos vários centros da cidade, a partir da experiência inicial da implantação que fizemos no Centro Espírita Luz e Fraternidade, contando com a atuação de uma equipe de trabalho. A experiência inicial de um estudo sobre temas de família, no Centro Espírita Luz e Fraternidade, contando com a colaboração de um grupo de amigos afins ao tema.

Logo depois que assumimos a presidência da União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo, já se iniciava uma reunião de estudos na sede dessa Instituição sobre temas da família no segundo semestre de 1990, e, que era coordenada pela nossa esposa Célia Maria Rey de Carvalho, contando com um grupo de colaboradores da cidade de São Paulo. Adotava-se uma programação que iniciamos com a esposa, poucos anos antes no Centro Espírita Luz e Fraternidade, de Araçatuba (SP). O programa de estudo concretizado na sede da USE-SP foi a origem do livro Família & espiritismo1, preliminarmente lançado como um opúsculo, e tendo como co-autores dezenas de companheiros que participaram das experiências de Araçatuba e de São Paulo.

Depois no final de janeiro de 1994, houve o lançamento nacional da Campanha Viver em Família, realizada pela USE-SP, em São Paulo, contando com a presença de dirigentes da FEB, palestra de Divaldo Pereira Franco e seminário com vários convidados. Esse evento gerou o livro Laços de família2. Aliás durante nossa gestão na USE-SP foram publicados três livros sobre família, elaborados por equipes.

Com a coordenação estadual de nossa esposa Célia, houve a implantação dessa Campanha em todo o Estado, arregimentando-se dezenas de colaboradores e divulgadores. Também com nossa esposa como coordenadora do Departamento de Educação da USE-SP, e contando com atuação de lideranças espíritas vinculadas ao magistério formal e à evangelização da infância, foram efetivados muitos seminários estaduais. Ao mesmo tempo, junto à USE-SP havia grupo de companheiros que atuavam na área de gestão de centros e de órgãos de unificação. Desse conjunto de atividades, surgiram livros editados pela USE-SP sobre educação, família, centro espírita, direção de órgãos de unificação, idoso no centro espírita…

Dessa fase ativa junto à USE-SP, durante toda a década de 1990, destacamos alguns integrantes das várias equipes, próximas a nós: Attílio Campanini, Adalgiza Balieiro, Carlos Teixeira da Silva, Carolina Flor da Luz Matos, Delma Crotti, Éder Fávaro, Eduardo Carvalho Monteiro, Elaine Curti Ramazzini, Heloísa Pires, Iolanda Húngaro, Ivan René Franzolin, Joaquim Soares, José Antonio Luiz Balieiro, Júlia Nezu de Oliveira, Luiz Fuchs, Maria Aparecida Valente, Sander Salles Leite e Wilson Garcia.

Quando nos estabelecemos em Brasília, o recém empossado presidente da FEB Nestor João Masotti, que conhecia nosso trabalho no Estado de São Paulo, convidou-nos para montar uma equipe para elaborar um projeto de apoio a centros espíritas. Assim, no 1o semestre de 2001, convidamos companheiros que tinham experiência efetiva em gestão de centros espíritas, incluindo a esposa Célia que havia integrado conosco equipes de centro espírita e junto à USE-SP e entre outros: Roberto Versiani, Edimilson Luiz Nogueira, Ricardo Silva, Rubens Dusi, Walid Dauod, casal Cristina e Marco Leite. Walid, Cristina e outros convidados permaneceram pouco tempo.

Assim nasceu o projeto para “Capacitação Administrativa para Gestão das Casas Espíritas” sobre o qual já levamos informação à reunião do Conselho Federativo Nacional da FEB em novembro de 2002, inclusive já com um estudo piloto efetivado em centro espírita de Brasília.3

A equipe inicial, agora integrantes da já oficializada Secretaria Geral do CFN da FEB, foi se ampliando com novos colaboradores, oferecendo condições para muitas viagens para atender convites de Federativas e realização de encontros estaduais para se preparar monitores indicados pelas Federativas.4

A equipe da secretaria geral do CFN também atuou na ativação conjunta das Campanhas Família, Vida e Paz e de esclarecimento sobre o aborto. Em consequência, foi elaborado e lançado em 2005 o livro Família, vida e paz5, contando com atuação de equipe de diretores da FEB e da secretaria geral do CFN. Sintetiza subsídios e sugestões para o desenvolvimento das Campanhas, relacionadas com a referida publicação.6 As Marchas Nacionais do Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto, realizadas em Brasília, entre 2007 e 2014 contaram com a colaboração da equipe da secretaria geral do CFN.

Além dos estudos e projetos elaborados e implantados, houve um momento em que surgiu a motivação para se redigir um texto sobre um tema muito falado à época, a “transição planetária”, e, a equipe da secretaria geral do CFN elaborou um texto, em seguida publicado em série de três artigos na revista Reformador7, tendo como fundamentação as obras de Allan Kardec, notadamente A Gênese.

Essa equipe também teve decisivo papel, como os relacionados com estudos para atualização do Orientação ao Centro Espírita (2007); elaboração e implantação do Orientação aos Órgãos de Unificação, lançado em 2010; participação no “Projeto de Interiorização”, de visita a centros do interior, com apoio das respectivas Federativas Estaduais8, e, também na realização de Seminários Integrados “Ações de Acolhimento, Conselho e Esclarecimento no Centro Espírita” a partir de 2012.

Vários integrantes dessa equipe também se integraram no projeto de curso a distância “Gestão de Centro Espírita”, implantado no Portal da FEB em 2011, com a coordenação de Ayda Sasse e que funcionou até 2015.9

Outras atividades em que os membros dessa laboriosa equipe atuaram, entre 2012 e março de 2015, foi a colaboração com as reuniões públicas de estudo semanal de O evangelho segundo o espiritismo, coordenado pela nossa esposa Célia, e, de algumas atividades do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Evangelho da FEB (NEPE), incluindo gravações de vídeo aulas feitas pela TVCEI e FEBtv.

Ao longo do tempo novos valores se somaram àquela equipe inicial da secretaria geral do CFN, como: Ayda Sasse, Cesar Adonay, Ecimar Loli, Edmar Júnior, Flammarion Vidal, Hemerson Xaxá, José Luiz Dias, Luiz Julião Ribeiro, Marco Rosa, Marcos Bragatto. Lembrando que em alguns momentos também atuaram as esposas dos companheiros citados.

Mais à frente, no período nosso de presidência da FEB, atuaram como autêntica equipe os secretários das Comissões Regionais do CFN: Manuel Felipe Menezes da Silva Júnior (Norte), Creuza Lage (Nordeste), Aston Brian Leão (Centro) e Ricardo Mesquita (Sul).

A secretaria geral do CFN mantinha reuniões semanais regulares sob nossa coordenação e depois que assumimos a presidência da FEB, também com coordenação de Roberto Versiani que assumiu a secretaria geral do CFN.

A equipe da secretaria geral do CFN durante as gestões como presidentes, de Nestor Masotti e a nossa, foi incumbida de colaborar com a infraestrutura para as reuniões do Conselho Federativo Nacional e de vários outros eventos realizados na sede da FEB, como algumas reuniões do CEI e colaboração em Congressos Brasileiros.

Outra equipe que estimulamos a formação e interagimos foi a do NEPE da FEB. Como relatamos acima, além de alguns membros da secretaria geral do CFN, contou com o apoio decisivo da esposa e do filho Flávio e de companheiros que também integraram a Comissão do NEPE: Haroldo Dutra Dias (MG), Célia Maria Rey de Carvalho (FEB), Flávio Rey de Carvalho (DF), Ricardo Mesquita (SC), Simão Pedro de Lima (MG), Wagner Gomes da Paixão (MG), Afonso Chagas (MG), e, mais no final com Saulo César Ribeiro da Silva (DF) e Ismael Maia (Pb). Houve a elaboração de um livro em equipe sobre Evangelho.10 Este NEPE central, que funcionou até março de 2015, estimulou e manteve intercâmbios com vários que foram surgindo junto a Federativas Estaduais: Goiás, Maranhão, Pernambuco, Paraíba. Formava-se um trabalho em equipe e em rede pelo país.11

Após o período pós-FEB detectamos que várias Federativas Estaduais mantém projetos de capacitação de trabalhadores espíritas. Uma pesquisa acadêmica recente mostrou a existência de dezenas de NEPEs funcionando em várias regiões do país.12

Nos anos recentes, em São Paulo, estamos nos dedicando a equipes de estudo do evangelho e de prática da mediunidade. E interessante, respectivamente, num local que homenageia um ex-companheiro nosso da USE-SP, o Eduardo Carvalho Monteiro, e, noutro evoca a pioneira “Casa do Caminho”. Mesmo na prolongada quarentena dos tempos atuais de prevenção ao Covid-19 mantemos animadas reuniões semanais virtuais. Há também integrantes de uma "equipe em rede" de várias cidades do país.

Nosso registro de vivência, em vários níveis de abrangência, é o reconhecimento, incluindo a gratidão, a colaboradores idealistas e dedicados, e, do valor do trabalho em equipe.

o0o

“Cada um de nós, na equipe de ação espírita, é peça importante nos mecanismos do bem. Jamais esquecer-nos de que o maior gênio não consegue realizar-se sozinho e que, por isso mesmo, Jesus nos trouxe à edificação do Reino de Deus, valorizando o princípio da interdependência e a lei da cooperação.” – Emmanuel.13

Referências:

1) Carvalho, Célia Maria Rey (Org.). Família & espiritismo. 6.ed. São Paulo: USE. 231p.

2) Franco, Divaldo Pereira; autores diversos. Laços de família. 8.ed. São Paulo: Ed. USE. 150p.

3) Reunião Ordinária do CFN de 2002. Reformador. Ano 121. N. 2086. Janeiro de 2003. P.22-23.

4) Capacitação administrativa para dirigentes de casas espíritas. Reformador. Ano 122. N. 2099. Fevereiro de 2004. P.78-79.

5) Família, vida e paz. 1.ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. 103p.

6) Reativação das Campanhas sobre Família, Vida e Paz. Reformador. Ano 123. N.2120. Novembro de 2005. P. 415-416.

7) Equipe Secretaria Geral do CFN da FEB (Org.) Transição para a Nova Era. Reformador. N. 126. Outubro de 2010; A transição e o caminho para a Nova Era. Reformador. N.127. Novembro de 2010; A transição e o papel do Espiritismo. Reformador. N.128. Dezembro de 2010.

8) Ata da Reunião Ordinária do Conselho Federativo Nacional. Reformador. Ano 129. N. 2186-A. Maio de 2011. P.5-7.

9) FEB sediou reuniões simultâneas do CFN, de jovens e de Cursos de Gestão. Reformador. Ano 133. N.2230. Janeiro de 2015. P. 56-59.

10) Carvalho, Antonio Cesar Perri; Carvalho, Célia Maria Rey (Org.). O evangelho segundo o espiritismo: orientações para o estudo. 1.ed. Brasília: FEB. 2014. 203p.

11) Página eletrônica: http://grupochicoxavier.com.br/historico-nepe-feb/ (Consulta em 23/05/2020).

12) Torres, Natália Cannizza. “Jesus a porta, Kardec a chave”: a apropriação do Novo Testamento pelo segmento espírita. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos. 2019. 91p. Disponível no site: https://repositorio.ufscar.br

13) Xavier, Francisco Cândido. Espíritos diversos. Educandário de Luz. Cap. Em equipe espírita. São Paulo: IDEAL.

(*) Foi dirigente espírita em Araçatuba; presidente da USE-SP e da FEB; membro da Comissão Executiva do CEI.

Reunião virtual de Evangelho sobre “Casa do Caminho”

Reunião virtual de Evangelho sobre "Casa do Caminho"

Na noite do dia 23 de maio, o Grupo Espírita Casa do Caminho, de São Paulo, manteve uma reunião virtual sobre Evangelho. O encontro a distância foi dirigido pelo presidente Régis Lang e a palestra foi desenvolvida por Antonio Cesar Perri de Carvalho, sobre o tema "A primeira Casa do Caminho". O expositor se baseou em Atos dos Apóstolos e no romance "Paulo e Estêvão", de Emmanuel (FCX), havendo ao final um diálogo sobre o tema entre o dirigente e o expositor. Houve a participação de 214 pessoas, vinculadas ao G.E.C.C., e alguns de outros Estados e países. Vários se manifestaram pelo chat e pelo whatzapp do grupo.

Vibrações a distância na Casa do Caminho

Vibrações a distância na Casa do Caminho

Na tarde do dia 21 de maio foi iniciada a reunião virtual – a distância -, dos integrantes da equipe mediúnica IV do Grupo Espírita Casa do Caminho, de São Paulo. Coordenação da reunião a distância com Glória Martins Miranda; exposição do evangelho por Vera Albernaz que focalizou parábola dos trabalhadores na vinha, em que encerra com a anotação: “Assim, os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos” (Mateus 20, 16), empregando a interpretação espírita e adaptando à nossa realidade atual; concluindo, as vibrações por Roseane. Houve início e final com música com piano, com Margarete.

Reencarnação com base em casos

Reencarnação com base em casos

Para completar o estudo do Cap.4 de “O Evangelho segundo o Espiritismo”, na reunião virtual da noite do dia 19 de maio, ocorreram apresentações de casos sobre reencarnação. Célia Rey de Carvalho fez uma síntese do livro “50 anos depois”, de Emmanuel (FCX), relatando os personagens desse romance depois no mundo espiritual e se preparando para a reencarnação. Gilmar Trivelato relacionou alguns desses espíritos com personagens do romance “Renúncia”, de Emmanuel (FCX). Cesar Perri focalizou os livros “Minha vida em outra vida”, de Jenny Cockell (FEB) e “Las vidas pasadas de los niños”, de Carol Bowman (CEI), que ele conheceu pessoalmente. Trata-se de grupo do Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa Espírita, de São Paulo, que se dedica ao estudo de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”.

Para vencer tempestades da vida

Para vencer tempestades da vida

Se procuras ensejo para realizar-te, em matéria de paz e felicidade, age e serve sempre.

No trabalho não somente surpreenderás o caminho do aprimoramento próprio, mas igualmente a ginástica do espírito conferindo-te sustentação e segurança.

Lembra as águas estagnadas, o arado ocioso sob a ferrugem, a terra de qualidade quando entregue ao mato inculto e os móveis abandonados que a poeira consome.

Mantém-te na melhor forma de auxiliar e socorrer, elevar e construir.

No mundo, o inesperado vigia sempre. Indispensável afiar os instrumentos da emoção para fazer os imprevistos que apareçam quando as ocorrências sejam de molde a espaçar-te a sensibilidade.

O trabalho é a única força capaz de adestrar-nos para vencer nos encargos que a vida nos imponha.

Sem atividade que as dignifique, a própria riqueza amoedada assemelha-se à múmia emparedada no cofre, tanto quanto a cultura que não ampara os outros é uma luz escondida sem proveito para ninguém.

Não te iludas.

Por muito serenas se mostrem as águas em que navegamos, a tempestade virá, um dia, testar-nos a resistência e a coragem, a criatividade e a compreensão.

Necessário exercitar as próprias energias, aprender algo mais, aperfeiçoar o que se sabe e caminhar adiante. Seja qual for a estrada em que te encontres não marginalizes.

Age e serve.

Se dificuldades maiores te alvejam o espírito, não te detenhas porque as circunstancias te hajam colocado num labirinto de problemas dos quais ainda não conheces a estrutura.

Prossegue trabalhando e a mais difícil de todas as soluções te surgirá.

Emmanuel

(Xavier, Francisco Cândido. Espíritos diversos. Ação, Vida e Luz. Cap.1. São Paulo: CEU).

Recomendações da USE-SP aos centros no período de isolamento

Recomendações da USE-SP aos centros no período de isolamento

A página eletrônica da União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo, apresenta na sua página inicial um power point bem elucidativo sobre "Recomendações aos centros espiritas durante o período de reclusão social. Novo coronavirus".

Contém recomendações sobre os cuidados em todas atividades dos centros.

Copie e cole o link:

https://usesp.org.br/

Gestão de Centros Espíritas em nossos dias

Gestão de Centros Espíritas em nossos dias

Antonio Cesar Perri de Carvalho (*)

O tema sobre gestão de centros espíritas nos motivou desde os tempos em que atuávamos como dirigente de instituição espírita em Araçatuba. Um artigo nosso publicado no jornal O Clarim provocou repercussões, inclusive junto à USE-SP: “Estão os Centros Espíritas preparados para receber grandes massas humanas?”.1 O tema norteou desde nossa primeira gestão como presidente da União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo, a partir de julho de 1990. Daí a transformação do periódico da USE-SP em Dirigente espírita (1990), o 8o Congresso Estadual de Espiritismo (1992) tendo como tema central “Dimensão cósmica do Centro Espírita”, e, vários seminários sobre o tema.2

Após nossa mudança para Brasília e no início da gestão de Nestor João Masotti como presidente da FEB este amigo nos solicitou que informalmente procurássemos reunir uma equipe para dar início a um estudo sobre o tema. Assim se originou o futuro projeto de “capacitação de dirigentes de centros espíritas”. Convidamos companheiros ligados ao movimento espírita de Brasília e que tinham experiência efetiva em gestão de centros espíritas, incluindo a esposa Célia que havia integrado conosco equipes de centro espírita e junto à USE-SP e entre outros: Roberto Versiani, Edimilson Luiz Nogueira, Ricardo Silva, Rubens Dusi, e, em alguns momentos iniciais com Walid Dauod, Marco Leite e esposa Cristina.

Na reunião do Conselho Federativo Nacional da FEB de 2001, já levamos as informações iniciais a pedido do presidente e foi designada uma Comissão, sob nossa coordenação. Nesse ínterim foi desenvolvido um seminário a título de projeto piloto em centro espírita da periferia do Distrito Federal: Centro Espírita Boa Árvore, na região Norte de Ceilândia.

Na reunião do CFN de 2002 apresentamos o projeto para “Capacitação Administrativa para Gestão das Casas Espíritas” gerando grande interesse e definindo-se que o assunto seria tratado nas reuniões das Comissões Regionais do CFN de 2003. Essa atividade ocorreu, aprovando-se no mesmo ano a implantação do projeto citado.3

Já estava oficializado o funcionamento da secretaria geral do CFN e, no ano seguinte, em 2004, como diretor da FEB, fomos designados como secretário geral do CFN. Naturalmente contamos com a atuação dessa equipe que já vinha trabalhando conosco, com novos colaboradores, e foram feitas viagens para atender convites de Federações dos Estados, somando onze encontros estaduais contando com a presença de futuros monitores indicados pelas Federativas.4

No CFN da FEB de 2004, já levamos informações sobre esse projeto que, em forma de curso, já se encontrava em implantação em 18 Estados5Inclusive houve muito apoio na gestão de Attílio Campanini na USE-SP, mas seguindo-se depois com Balieiro e Júlia, e com muita abrangência no Rio Grande do Sul, na gestão de Jason de Camargo na FERGS.

O novo programa se estendeu pelo país. No CFN de 2005 informamos a grande disseminação desses Cursos pelos Estados e com diferenciações de acordo com suas realidades, sendo alguns semi-presenciais e outros totalmente presenciais.6

Há vários registros interessantes. Um seminário que efetivamos em Parnaíba (Pi), seguindo-se o apoio presencial da equipe da secretaria geral do CFN, e até reuniões on line, redundou em novo marco para o movimento espírita daquela região.7

Nesse ínterim novos valores se somaram àquela equipe da secretaria geral do CFN, como: Edmar Júnior, José Luiz Dias, Cesar Adonay, Ayda Sasse, Marcos Rosa, Marcos Bragatto…

A experiência de cursos e seminários sobre gestão favoreceu outros trabalhos em que a equipe da secretaria geral do CFN teve decisivo papel, como relacionados com estudos para elaboração e implantação do opúsculo Orientação aos Órgãos de Unificação, lançado em 2010, e com a motivação e ativa participação “Projeto de Interiorização”, de visita a centros do interior, com apoio das respectivas Federativas Estaduais.8

A experiência de cursos e seminários sobre gestão levou a equipe a montar e implantar ao longo do ano de 2011 o primeiro curso a distância, utilizando o Portal da FEB, intitulado “Gestão de Centro Espírita” e coordenado por Ayda Sasse. Empregou-se a plataforma Moodle, um software livre, utilizado como ferramenta de apoio ao ensino e à aprendizagem para cursos online. Sempre contando com apoio técnico da equipe de Tecnologia da Informação da FEB. A repercussão e demanda foi enorme, inclusive com inscritos de outros países. Rapidamente se encerravam as inscrições para cada nova turma. Novas idéias e desdobramentos foram surgindo.

No CFN de 2011 informamos sobre a proposta do Seminário Integrado “Ações de Acolhimento, Conselho e Esclarecimento no Centro Espírita” que seria desenvolvido nas Comissões Regionais do ano de 2012. Também informamos sobre os cursos a distância de "Gestão de Centro Espírita" implantados neste ano, utilizando o Portal da FEB, inclusive com um curso de preparação a distância de tutores.9

Entre 2011 e 2013 o curso de “Gestão de Centros Espíritas” traduzido para o espanhol (“Herramientas para mejorar la gestión de la casa espírita”) por iniciativa da Federação Espírita Uruguaia, foi implantado no Uruguai. Na época o casal Azelma e Edimilson Luiz Nogueira residia em Montevideo em função de compromissos profissionais de Edimilson e eles se integraram em atividades de centro espírita, da Federação e foram grandes colaboradores desse Curso. Esta era dirigida por Eduardo Dos Santos. Na modalidade semi-presencial, o curso foi implantado envolvendo participantes de todos os centros do país e realizando-se reuniões presenciais nos finais de etapas, em eventos dos centros das regiões Norte e Sul do Uruguai. Como convidado, comparecemos em Montevideo em eventos marcantes da Federação e desse curso, inclusive no encerramento da primeira turma em janeiro de 2013, contando também com a presença do presidente da Confederação Espírita Argentina Gustavo Martínez.10

Durante a reunião do CFN da FEB, durante nossa presidência em 2014, houve simultaneamente a reunião de tutores dos cursos a distância (“sem distância”) de “Gestão de Centros Espíritas”, com coordenação de Ayda Sasse e presença de representantes sediados em 11 Estados, com o objetivo de avaliarem o trabalho e conhecerem o CFN da FEB.11

Quando concluímos a gestão de presidente da FEB, em março de 2015, já vinham sendo oferecidos vários cursos a distância, com a coordenação geral de Ayda Sasse e contando com uma grande equipe de tutores de várias partes do país. Eis os cursos a distância que já estavam sendo oferecidos pelo Portal da FEB, no início de 2015:12

- Curso I – Centro Espírita Visão Geral: oferece aos atuais e futuros colaboradores das Casas Espíritas a oportunidade de analisar a estrutura da instituição onde colabora, identificando novas possibilidades de ação;

- Curso II – Movimento Espírita Estrutura e Funcionamento; A proposta deste estudo é o de levar aos seus participantes uma visão mais ampla do processo de unificação;

- Curso III – O Dirigente e os Colaboradores: O objetivo central deste estudo é oferecer ao atuais e futuros dirigentes dos Centros Espíritas a oportunidade de refletir sobre a dinâmica de seu relacionamento de trabalho junto às equipes;

- Curso IV – O Dirigente e seu Processo de Trabalho: O foco deste estudo encontra-se na abordagem e no exercício de temas de caráter técnico-administrativo, visando agregar valores e métodos de facilitação ao trabalho;

- Curso V – Aspectos Gerais da Organização Jurídica no Centro Espírita: É sempre uma tarefa desafiadora aos dirigentes de um Centro Espírita o tratamento de algumas questões legais.

Após as mudanças na direção da FEB, a partir de março de 2015, foi extinta a secretaria geral do CFN e os cursos a distância de “Gestão de Centros Espíritas” foram suspensos.

Os detalhamentos de Leis e Normas relacionadas com as organizações religiosas e associações filantrópicas exigem continuadas atenções por parte dos gestores e no âmbito do movimento espírita soma-se a atenção para a compatibilização com as orientações emanadas dos valores cristãos e da efetiva prática espírita.13

Agora, quando for ultrapassada a terrível pandemia do COVID-19 que provocou isolamentos e quarentenas, muitas avaliações terão que ser realizadas no tocante ao funcionamento, organização e prioridades das instituições espíritas.14 O novo cenário demandará o exercício de gestão participativa e muito eficaz.

Bibliografia:

1) Carvalho, Antonio Cesar Perri. Estão os Centros Espíritas preparados para receber grandes massas humanas? O Clarim. Matão (SP), 15/5/1975, p.6-7.

2) Carvalho, Antonio Cesar Perri. A proposta inovadora do Dirigente Espírita. Dirigente espírita. Ano 30. N. 173. São Paulo. USE-SP. 2019. P.7.

3) Reunião Ordinária do CFN de 2002. Reformador. Ano 121. N. 2086. Janeiro de 2003. P.22-23.

4) Capacitação administrativa para dirigentes de casas espíritas. Reformador. Ano 122. N. 2099. Fevereiro de 2004. P.78-79.

5) Ata da Reunião Ordinária do Conselho Federativo Nacional. Reformador. Ano 123. N. 2114-A. Maio de 2005. P.4-7.

6) Ata da Reunião Ordinária do Conselho Federativo Nacional. Reformador. Ano 124. N. 2126-A. Maio de 2006. P.8.

7) Carvalho, Antonio Cesar Perri. Os frutos do cajueiro. Ações espíritas em Parnaíba. Parnaíba: Expressão Gráfica Editora. 2018. 96p.

8) Ata da Reunião Ordinária do Conselho Federativo Nacional. Reformador. Ano 129. N. 2186-A. Maio de 2011. P.5-7.

9) Ata da Reunião Ordinária do Conselho Federativo Nacional. Reformador. Ano 130. N. 2198-A. Maio de 2012. p.5-6.

10) A FEB em evento federativo no Uruguai. Reformador. Ano 131. N.2208. Março de 2013. P. 119.

11) FEB sediou reuniões simultâneas do CFN, de jovens e de Cursos de Gestão. Reformador. Ano 133. N.2230. Janeiro de 2015. P. 56-59.

12) Página eletrônica: https://www.febnet.org.br/gestao/ (acesso em 13/05/2020).

13) Carvalho, Antonio Cesar Perri. Centro espírita. Prática espírita e cristã. 1.ed. São Paulo: USE. 2016. 196p.

14) Carvalho, Antonio Cesar Perri. A pandemia e suas profundas repercussões. Revista internacional de espiritismo. Ano XCV. N.4. Maio de 2020. p.164-165.

(*) Foi dirigente espírita em Araçatuba (SP), presidente da USE-SP e da FEB, membro da Comissão Executiva do CEI.