Cinquentenário e a simplicidade e pureza

Cinquentenário e a simplicidade e pureza

Na tarde do dia 07 de outubro houve reunião virtual de vibrações de equipe do Grupo Espírita Casa do Caminho, de São Paulo. O evangelho foi explanado por Rosa Maria Abad Capano, lembrando os eventos em andamento alusivos aos 50 anos da “Casa do Caminho” e depois focalizou a simplicidade e pureza de coração (O evangelho segundo o espiritismo, cap. VIII, item 2 e 3). Luzia Kabata fez as vibrações; a prece por Maria Luiza de Medeiros; a coordenação por Glória Martins Miranda, e, no início e no final da reunião Margarida Helena Garabedian apresentou músicas ao piano.

O filme “Benedita: uma heroína invisível”

O filme: Benedita: uma heroína invisível. O legado da superação

   

A clássica frase do cineasta Glauber Rocha, referência do Cinema Novo do Brasil nos anos 1960 e início de 1970 pode ser emprestada nesse momento, só que com leve alteração: não foi “uma câmera na mão e uma ideia na cabeça”, conforme Rocha, mas uma ideia na cabeça e uma câmera na mão que deram origem à produção cinematográfica com pré-estreia marcada para o dia 9 de outubro (sábado), às 21h, em Araçatuba, em sessão fechada. ‘Benedita: uma heroína invisível. O legado da superação’ é a cinebiografia fruto do citado encontro: ideia do jornalista Sirlei Nogueira com a câmera nas mãos do produtor Samuel Lalucci, que finalizavam um curso básico de produção audiovisual na cidade no ano de 2012.

Em poucos meses começavam as filmagens do conteúdo documental.

Alguns anos depois, a pré-estreia é de um docudrama, mix de documentário com cenas dramatizadas por atores profissionais e amadores locais. A protagonista é a atriz Silvia Teodoro, natural da cidade, funcionária pública e psicóloga, que encarna – quase literalmente – a personagem Benedita Fernandes, pioneira benemérita que em 1932 fundou a instituição que se transformaria em hospital psiquiátrico com o nome dela, a partir de 1947.

Corte. Tipo cinematográfico, quando muda a cena: a atriz, que adotou Tiodora como novo nome artístico, em homenagem à avó, faleceu no último mês de março, em decorrência de câncer.

Corte 2: o recorte sobre essa história de vida prioriza outros cenários, principalmente os vivenciados ao longo de anos até chegar a Araçatuba e iniciar os trabalhos sociais que a transformaram em referência de responsabilidade social e de acolhimento ao ser humano, especialmente aos que necessitavam de atendimento em saúde mental, nos longínquos anos 1930. Educação formal foi a outra frente de trabalho encarada pela desbravadora respeitada por políticos da época, como prefeito, deputado, interventor do Estado e até pelo próprio presidente Getúlio Vargas. Educação de crianças pobres como ela, em condições de vulnerabilidade social.

MULHER. NEGRA. POBRE. ANALFABETA. ‘LOUCA’.

Imagine-se nessas condições. Só que 90 anos atrás… Todas são reais, com informações sobre obstáculos facilmente pesquisáveis – virtualmente ou não – na História relativamente recente do Brasil. Ninguém – em sã consciência – poderia dizer que teria sido a melhor das experiências. Então, como seria para quem não vivenciasse em sã consciência? Nesse caso, louca,mas não conforme diagnóstico da medicina vigente: ‘louca’ num sentido figurado para os homens, mas efetivamente compreensível do ponto de vista espiritual.Décadas depois, a Ciência reconheceu a obsessão espiritual no CID (Código Internacional de Doenças) da Organização Mundial da Saúde.

A condição provisória de ‘louca’ deve ter sido o obstáculo mais difícil a ser superado por aquela pessoa em situação de rua, de estrada batida de chão, de trilhas pelas matas e trilhos ferroviários. A andarilha perambulou quase 800 quilômetros entre a terra natal, Campos Novos de Cunha, Distrito de Cunha, perto de Guaratinguetá (atual Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) até chegar a Penápolis, Região Noroeste Paulista.

PENSE BEM!

O que uma mulher, negra, pobre, analfabeta e que circunstancialmente estava na condição de ‘louca’ poderia fazer em prol do semelhante na década de 1930? Seria necessário nascer de novo, não é mesmo? O pit-stop histórico em Penápolis gerou muitos episódios e o momento que pode ser considerado de ‘nascimento’, de ‘metamorfose’ do ser humano que revolucionou a própria vida, numa exemplar história de superação, em uma existência caracterizada pelo pleno exercício da responsabilidade social.

Corte novamente. São contribuições que refletem na história da vizinha Araçatuba. Benedita Fernandes foi ‘curada’ e passou a ‘curar’; esteve andarilha e assegurou dignidade aos que perambulavam pelos caminhos, tanto adultos quanto principalmente crianças; era analfabeta, mas promoveu a educação infantil exemplarmente.

Vale destacar que uma ‘banca de examinadores’ formada por doutor e mestre em Ciências epor educadores com décadas de vivências foi convidada especialmente para reconstituir esse cenário histórico.

Dentre eles: Cesar Perri, doutor em Ciências (foi Pró-Reitor da Unesp) e é o biógrafo da personagem; e Sergio Felipe de Oliveira, mestre em Ciências e fundador da UniEspírito (Universidade Internacional de Ciências do Espírito). Luiz Carlos Barros Costa (ex-UniCastelo/Universidade Brasil, de Fernandópolis); Divaldo Pereira Franco, educador com mais de 600 filhos adotivos e mais de 200 netos e bisnetos em trabalho social em Salvador,BA; Ana Jaicy Guimarães, educadora e dona de casa; Marilusa Moreira Vasconcellos, educadora e psicóloga; e o psicanalista Wagner Gomes da Paixão são alguns dos outrosintegrantes da ‘banca’ que estruturam o cenário do conteúdo documental. Especialistas em Educação para ‘avaliar’ a Educadora por excelência. Conterrâneos e contemporâneos também enriquecem o docudrama.

Pense bem!

Então, o que qualquer outra pessoa ‘normal’ poderia fazer nos dias de hoje, em prol do semelhante? E você?O que poderia fazer? Se aceitar sugestão: ‘Benedita: uma heroína invisível. O legado da superação’. É um bom começo…

SERVIÇO EXIBIÇÕES Teatro Paulo Alcides Jorge | 9 a 14 de outubro |

Dez exibições: contrapartidas do Projeto ‘Benedita Fernandes. Sombra, Luz e Ação’: Edital Nº 01 de Apoio a Projetos de Valorização e Preservação da Memória no Município de Araçatuba (Prefeitura de Araçatuba/ Secretaria Municipal de Cultura/Fundo Municipal de Apoio à Cultura/Conselho Municipal de Políticas Culturais – Programa de Fomento à Cultura/Agosto de 2016). O incentivo foi direcionado exclusivamente à produção do conteúdo dramático. Atores profissionais e amadores de Araçatuba foram envolvidos no projeto.

AGENDAMENTO PARA SESSÕES GRATUITAS ENTRE 10 E 14 DE OUTUBRO:

18 99709.4684 (Sirlei) cocriacaobencultural@gmail.com

Dia 10: 16h | 20h30 Dia 12: 10h30 | 16h | 20h30 Dia 13: 16h | 20h30 Dia 14: 16h | 20h30

Classificação: 14 anos

FICHA TÉCNICA BRASIL | 2021 Cinebiografia baseada no livro ‘Benedita Fernandes. A Dama da Caridade’ Autor:Antonio Cesar Perri de Carvalho Publicação: Cocriação EditoraEireli, 2017 Apoio Cultural: Use Regional de Araçatuba (70 anos em 28.09.2022) Face Espírita (30 anos em 21.11.2021) COPRODUÇÃO DA CINEBIOGRAFIA (DOCUDRAMA) Cocriação Editora | Araçatuba.SP Lalucci Filmes | Araçatuba.SP

CONTEÚDO DOCUMENTAL Antonio Cesar Perri de Carvalho Divaldo Pereira Franco Luiz Carlos Barros Costa Ana Jaicy Rodrigues Guimarães Marilusa Moreira Vasconcellos Sergio Felipe de Oliveira Wagner Gomes da Paixão

CONTEÚDO DOCUMENTAL (Contemporâneos em Araçatuba.SP) Naoum Cury (in memorian) Dirce Dalloca Ribeiro

CONTEÚDO DOCUMENTAL (Conterrâneos em Campos Novos de Cunha/Distrito de Cunha.SP) José Carlos da Silva Gilson Alves Bernardino Marina Albano dos Santos Alves Rubens Alves Bernardino Ilson Gonçalves Ledoíno José Fernandes CONTEÚDO DRAMÁTICO Tiodora (in memorian)

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL Renato Prieto

ELENCO Clóvis Roberto Flavio Estêvão Manuela Menezes Pat Bracale João Gonçalves José Luiz Py

CRIANÇAS Caio Bracale Rafa CF Leon Nogueira

TRILHA SONORA ORIGINAL Maestro Mário Henrique Paula Zamp

GRAVAÇÃO ORIGINAL DA TRILHA Paula Zamp Gabriel Rocha

ARTISTAS DE VOZ Alessandra Araújo André Marouço Dan Camargo Nelson Custódio Hélio Negri

ARTISTAS PLÁSTICOS Agda (Agda Russo) | Itatiba.SP A.Wicher (Ângela Wicher) | Araçatuba.SP Clifford (Clifford Fortin) | Birigui.SP Lázaro (in memorian) M. Luzia (Maria Luzia Almeida Rosa) | Araçatuba.SP MatêVizoni (Maria Tereza Vizoni) | Birigui.SP Merciana (Merciana Greice Pereira Xavier) | Araçatuba.SP

PARTICIPAÇÕES Cícera Rodrigues Santana Elza Benevenuto Gregório Carlos Rodrigues Joyce Maria Corrêa Luiz Augusto Macedo Mara Regina Garcia de Souza Oliveira Sônia Arruda

EQUIPE LALUCCI FILMES Douglas Lalucci Bill Marques André Moreira Edélcio Araújo Jr.

Benedita em pré-estréia de filme e na mídia

Benedita em pré-estréia de filme e na mídia

        
No início de outubro, pela proximidade da data que assinala a desencarnação de Benedita Fernandes, dia 09/10/1947, aconteceram matérias sobre o a “dama da caridade” de Araçatuba. Eis uns registros: artigo no jornal Folha da Região (Araçatuba, 06 de outubro); documentário na TV Regional SBT, de Araçatuba – “Com amor, Benedita” -, com uma série de 05 a 08 de outubro; entrevista com Cesar Perri na webTV Estação da Luz, de Natal (RN) no dia 07 de outubro. E a pré-estreia do filme “Benedita – Uma heroína invisível. O legado da superação”, nos dias 09 a 14 de outubro, em Araçatuba.

“Pedi e obtereis” e os “patrões” de Benedita

“Pedi e obtereis” e os “patrões” de Benedita

O capítulo XXVII – “Pedi e obtereis” de “O Evangelho segundo o Espiritismo”, foi desenvolvido por Cesar Perri (de São Paulo) no dia 06 de outubro no programa “EVANGELHO À LUZ DO ESPIRITISMO”. Como ilustração, o expositor citou um diálogo de Benedita Fernandes: “Os patrões são ricos. […] É só a gente saber pedir e bater, como um deles pôs no Evangelho”, e, lembrou que dia 09 de outubro transcorrem 74 anos da partida da “dama da caridade”. Essa série é apresentada pela webTV Rede Amigo Espírita semanalmente por Perri todas 4as. feiras às 9 horas.

Acesse pelo link:

https://www.youtube.com/watch?v=lLfzV2McfBI&t=321s

Transplantes no “Pinga-Fogo” com Chico Xavier

Transplantes no “Pinga-Fogo” com Chico Xavier

Na reunião virtual sobre “Atualidades de Chico Xavier nos ‘Pinga-Fogos’”, transmitida pelo Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa do Espiritismo Eduardo Carvalho Monteiro, de São Paulo, foi focalizado o tema “Transplantes de órgãos”, no dia 05 de outubro. Mirna Nakano comentou as respostas de Chico Xavier sobre o então polêmico assunto – transplantes, complementando com informações históricas e até a atualidade. Em seguida houve diálogo com os integrantes do grupo. A reunião foi coordenada por Cesar Perri. A prece de abertura foi feita por Deusa Samu e a de encerramento por Ruy Gatto. Os encontros são semanais e virtuais, todas as 3as feiras até o final de novembro. Os interessados podem se inscrever pelo e-mail: ese-grupocx@ccdpe.org.br

JUNTO AOS QUE SOFREM

JUNTO AOS QUE SOFREM

O expositor da Doutrina Espírita, em geral, e o médium consciente dos próprios deveres, em particular, no exercício do mandato superior da caridade com Jesus, fazem-se instrumento de graves responsabilidades, em consideração as aflições do próximo, que neles espera encontrar apoio espiritual e consolo moral, a fim de ter diminuídas as provações em que se estertora, em face das excelentes diretrizes que dimanam do Consolador.

Enfermidades do corpo e da mente, desequilíbrios da emoção, dramas do sentimento e da consciência, ansieda¬des injustificáveis ou não, e frustrações amesquinhadoras são uma constante à volta deles, em rosários de desesperos, rogando-lhes orientação, socorro, solução, ajuda providencial…

O desconhecimento do Espiritismo, por parte dos que choram e anelam por encontrar respostas simples e equações rápidas para as suas necessidades, mais agrava o relacionamento entre aqueles e o companheiro portador de precárias expressões de equilíbrio, como, também, enseja uma ideia falsíssima da função que estes exercem em relação à vida.

Porque lidam e se identificam com relativa facilidade com o Mundo Espiritual, quando não são vistos na condição de charlatães ou inescrupulosos, passam por criaturas sobrenaturais ou especiais, dotadas de poderes de exceção, com que podem a bel prazer modificar destinos e corrrigir erros, a golpes de interferência caprichosa.

Não desejando à maioria dos consulentes submeter-se a um programa de reeducação, quando desorganizados interiormente, ou de educação diante das imposições superiores que regem a vida, nas quais a dor surge como cadinho purificador, supõem que, através do artifício das lágrimas de momento ou dos compromissos de futuros labores beneficentes, com vistas ao próximo, conseguirão modificar as paisagens íntimas sombrias e carrear merecimentos instantâneos, com os quais se transformarão os quadros dos valores vigentes.

Arrimados às pieguices religiosas com que no pas¬sado esperavam subornar e submeter a Divina Consciência, transferem-se de crença com a leviandade de quem muda de traje, iludindo-se com as perspectivas de amealhar maior soma de favores espirituais, sem a correspondente doação de sacrifício pessoal.

Não se lhes negando solidariedade nem concurso fraterno, faz-se, porém, imperioso, aclará-los quanto às próprias responsabilidades, bem assim, quanto ao significado dos sofrimentos que os sobrecarregam, tendo-se em vista a legitimidade das leis que regem os destinos, a fim de que compreendam o impositivo da meditação e da oração, superando dificuldades mediante renúncia e paciência em perfeita sintonia com as Entidades Superiores que lhes supervisionam a existência.

Auxiliá-los com a palavra amiga, inspirada no Evangelho de Jesus, sim; porém, não ser conivente com as suas defecções e erros, dando margem a conceitos inexatos sobre o ministério da mediunidade e da doutrinação.

Atendê-los com o passe restaurador de forças, impulsioná-los à mudança de atitude perante a vida, para melhor, com que poderão marchar em confiança e paz.

Socorrê-los na desobsessão, esclarecendo os seus inimigos desencarnados, ao mesmo tempo, elucidando-os quanto ao esforço pela transformação interior com que se lhes modificarão os clichês mentais, predispondo-os para novos e superiores tentames.

Em qualquer momento e em toda situação, manter a atitude de honesta humildade, não deixando que se exteriorizem as próprias imperfeições, as quais, disfarçadas, procuram angariar de falsas posições de privilégio de que gozariam na economia moral terrestre, em que todos nos encontramos na condição de espíritos necessitados de elevação, portanto, ainda cheios de mazelas e problemas…

Quando as proposituras dos aflitos parecerem mais difíceis de orientar, evitarem-se respostas dúbias, desculpistas ou indiferentes, confessando-se as limitações em que se encontram, e, orando por eles com sincero interesse, conseguirão haurir força e inspiração para prosseguir fiéis si mesmos e a Jesus, que é, afinal, o Excelso Amigo e Benfeitor, que nunca se escusava a compreender, a amar e a servir a todos quantos o buscavam batidos pelas aflições redentoras.

Benedita Fernandes

(Página recebida pelo médium Divaldo Pereira Franco, em Araçatuba (SP), em 12/12/1976, na residência do casal Célia e Cesar Perri. Divulgada pela União Municipal Espírita de Araçatuba. Incluída no livro Sementes de Vida Eterna, psicografia de Divaldo Pereira Franco. Livraria Espírita Alvorada Editora: Salvador, 1978).

Extraído de:

Carvalho, Antonio Cesar Perri. Benedita Fernandes. A dama da caridade. Araçatuba: Cocriação. 2017. 

50 anos da Casa do Caminho – História, confraternização, mensagem de Divaldo

50 anos da Casa do Caminho – História, confraternização, mensagem de Divaldo

Na manhã do dia 03 de outubro comemorou-se os 50 anos da fundação do Grupo Espírita Casa do Caminho, de São Paulo, que surgiu na data alusiva ao nascimento de Kardec. Inicialmente, o presidente do Grupo, Régis Lang, proferiu palestra sobre a fundação e trajetória da instituição, homenageando seus fundadores e com referências ao trabalho espiritual do patrono Itaporã. Essa atividade contou com presença de público, atendendo-se às normas sanitárias, e também foi transmitida pela internet. Em seguida, houve um lanche de confraternização para os dirigentes e colaboradores.

Essa equipe retornou ao salão principal e assistiu a projeção de gravação com Divaldo Pereira Franco, específica para o cinquentenário do Grupo. O expositor focalizou a Casa do Caminho original, fundada pelos apóstolos nos arredores de Jerusalém e depois destacou o papel dos centros espíritas em nossos dias. Nesses dias foi lançada a obra alusiva ao cinquentenário da instituição, “O caminho da casa de cristal”, autoria de Tânia Redigolo. O programa de palestras presenciais e/ou virtuais comemorativas aos 50 anos da “Casa do Caminho” prosseguirão ao longo do mês.

Link para acesso à comemoração-palestra de Régis:

Link para acesso mensagem de Divaldo:

Comemorações em Araçatuba: Kardec e 80 anos do Abrigo Ismael

Comemorações em Araçatuba: Kardec e 80 anos do Abrigo Ismael

Na manhã do dia 03 de outubro ocorreram duas comemorações em Araçatuba, transmitidas pela Estação Dama da Caridade Benedita Fernandes. Na Instituição Nosso Lar, Paulo Sérgio Perri de Carvalho fez palestra virtual em homenagem ao dia do nascimento de Kardec.

Na União Espírita Paz e Caridade, dentro das comemorações do Centenário da instituição, foi focalizado os 80 anos da inauguração de seu departamento Abrigo Ismael, que atende senhoras idosas. Nesse evento atuaram em exposições presenciais e com transmissão simultânea, sobre as informações históricas e trajetória do Abrigo Ismael: Sueli Rodrigues, Osvaldo Generoso e Ismael Gobbo.

Acesso para comemoração no Abrigo Ismael:

Acesso para reunião em “Nosso Lar”:

Atualidade das Obras de Kardec

Atualidade das Obras de Kardec

O Instituto de Cultura Espírita, de Campo Grande (MS), deu início à Homenagem Mês de Kardec, com palestra virtual por Antonio Cesar Perri de Carvalho (São Paulo). Na noite do dia 02 de outubro, o expositor focalizou informações recentes e pesquisas sobre a vida, a obra e as repercussões do trabalho de Kardec.

Acesse pelo link (copie e cole):

https://www.youtube.com/watch?v=UNGz7nVHEiw

Lei de sociedade e família

Lei de sociedade e família

No tradicional programa de sábados a tarde, no dia 02 de outubro, da Estação Dama da Caridade Benedita Fernandes, Osvaldo Magro Filho (de Araçatuba) foi o expositor convidado. O tema focalizado “Lei de Sociedade”, de “O Livro dos Espíritos” foi desenvolvido, com focos para a questão da família. Em seguida, o expositor dialogou com convidados: Ismael Gobbo, Maria Luzia de Almeida Rosa, Antonio Cesar Perri de Carvalho e Luiz Carlos Barros Costa. O programa foi coordenado por Fátima Montelo.

Acesse pelo link: