OPEREMOS

OPEREMOS

“…Operai a vossa salvação…”-Paulo. (Filipenses, 2:12)

Salvar quer dizer "guardar, preservar, livrar-se do perigo…"

Operar significa "agir, efetuar, executar…"

O apóstolo induz-nos a refletir sobre o imperativo do próprio esforço na elevação espiritual, como a dizer-nos que o Criador não dispensa a cooperação do homem nas edificações da vida.

E, em verdade, nas faixas mais simples da Natureza vemos semelhante princípio dominar, claro e metódico.

Deus concede ao homem a gleba que produzirá o pão, contudo não lhe dispensará o concurso na lavoura frustescente; confere-lhe as vantagens da biblioteca preciosa, mas reclama-lhe a aplicação pessoal na conquista do conhecimento; cede-lhe o bloco de mármore puro, entretanto exige-lhes suor e atenção no buril, para que a obra-prima de estatuária se expresse, vitoriosa…

Assim também a colaboração humana jamais será excluída na solução dos problemas de natureza espiritual.

Jesus opera em nós o amor ao bem e as disposições renovadoras da fé, acrescentandonos a sede de luz; no entanto cabe-nos operar, por nossa vez, a transformação de nossa existência e de nossa alma, a fim de que os valores do céu nos sublimem a vida.

O Senhor, para ajudar-nos, não prescindirá do auxílio que devemos a nós mesmos.

O Mestre acendeu à luz no caminho. Mobiliza tua alma ao encontro Dele.

Emmanuel

(Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito Emmanuel. Segue-me. Matão: O Clarim)

 

Violência doméstica é tema de revista de Direito 

Violência doméstica é tema de revista de Direito 

A revista semestral "Direito e Espiritualidade", editada pela Associação Jurídico Espírita do Brasil, em seu número de julho/dezembro de 2019 focaliza em artigo e na capa o tema "Violência doméstica. Realidade social,prevenção e a contribuição espírita". O artigo é de autoria de Donizete Pinheiro, Juiz de Direito aposentado e autor de obras espíritas.

A revista também destaca temas como: Ética e moral em debate, e, Paulo de Tarso, exemplo para os operadores do Direito.

Entre os colaboradores: André Marouço, Danilo Villela, Marcus Vinícius Severo da silva, Maria Auxiliadora Santos Essado, Tiago Cintra Essado, Kildare de Medeiros Gomes Holanda, Amauri Ferrari Paroni, Ercília Zilli, Chistiano Torchi, Antonio Cesar Perri de Carvalho e Júlia Nezu.

Informações:

www.ajebrasil.org.br

secretaria@ajebrasil.org.br

facebook.com/juridicoespiritabrasil

Violência Doméstica-Rev.Esp.eDireito

466 anos de São Paulo com visita e artigo

466 anos de São Paulo com visita e artigo

Às vésperas do dia 25 de janeiro, quando a cidade de São Paulo completa 466 anos, visitamos a região onde ela foi fundada. O casal Célia e Cesar Perri e o filho Flávio ciceronearam Danilo Oliveira Silva, um dos dirigentes da Casa Espírita Francisco Cândido Xavier, de Vitória da Conquista (Bahia), para conhecer o Pátio do Colégio, onde há um museu e o busto do fundador padre Manuel da Nóbrega, e, a Praça da Sé, onde há monumento em homenagem ao Apóstolo Paulo.

Acesse artigo sobre a relação entre história da fundação da cidade com os relatos de Chico Xavier sobre Manuel da Nóbrega:

Copie e cole: http://grupochicoxavier.com.br/sao-paulo-fundada-em-homenagem-ao-apostolo/

Casa do Caminho sem férias

Casa do Caminho sem férias

No Grupo Espírita Casa do Caminho, Vila Clementino, em São Paulo, não houve período de férias. As reuniões e atividades foram mantidas. Entre os expositores: Régis Lang e o casal Célia e Cesar Perri. E com momentos de confraternização e a reunião do "Evangelho para o trabalhador".

São Paulo: fundada em homenagem ao Apóstolo

São Paulo: fundada em homenagem ao Apóstolo

Antonio Cesar Perri de Carvalho (*)

Neste ano completa-se 466 anos da fundação da cidade de São Paulo.

Atualmente a maior cidade do país e do Hemisfério Sul, foi fundada no dia 25 de janeiro de 1554, pelo padre Manuel da Nóbrega.

Este veio à então Colônia de Portugal acompanhando o primeiro governador Tomé de Souza, designado pelo rei Dom João III e com a missão específica de instalar o processo educacional no Brasil. Foi autor do primeiro livro escrito no país: “Cartas do Brasil”.

O marco inicial da cidade foi o Colégio São Paulo, onde atualmente se localiza o Pátio do Colégio, no centro antigo da cidade, e funciona um museu alusivo à fundação da cidade e homenageando Manuel da Nóbrega e seu noviço José de Anchieta, considerados os dois primeiros evangelizadores do país.

Em registros históricos de conhecimento público sabe-se que Nóbrega, que atuava em São Vicente, subiu ao Planalto de Piratininga e resolveu fundar uma escola, escolhendo o dia 25 de janeiro, data comemorativa da conversão do apóstolo Paulo. Assim, surgiu a cidade de São Paulo, significativamente a partir de uma escola e homenageando a apóstolo da gentilidade.

Esse episódio histórico foi evocado por Chico Xavier durante o 2o Pinga-Fogo, a longa entrevista na TV Tupi de São Paulo em 1971, ao comentar que Manuel da Nóbrega foi uma das reencarnações do espírito Emmanuel. Chico também fez referência a este fato na cerimônia pública e televisada ao vivo da Câmara Municipal de São Paulo, no dia 19/5/1973, quando recebeu o título de “Cidadão Paulistano”.1,2 Mas essa revelação já havia sido feita por Chico Xavier e foi registrada em livro de Clóvis Tavares – amigo de Chico Xavier – e publicado com apoio deste enquanto encarnado: “Amor e Sabedoria de Emmanuel”, lançado em 1970 pela Editora Calvário e atualmente editado pelo IDE.3

Herculano Pires comentou a missão de Nóbrega junto aos indígenas e aos portugueses que aqui vieram, e estabeleceu a relação entre Paulo e Nóbrega: “Dura foi a luta pela conversão do gentio. […] Paulo exerceu o apostolado dos gentios para o Cristianismo. Nóbrega foi o Apóstolo dos Gentios no Brasil nascente, preparando o terreno para o seu apostolado espírita do futuro.”4

As relações entre o espírito Emmanuel e Paulo de Tarso também são comentadas em livros de nossa autoria, sobre as Epístolas de Paulo e sobre Chico Xavier.1,2

O fundador Manuel da Nóbrega é homenageado não apenas no Pátio do Colégio, mas também em dois monumentos e rua da cidade de São Paulo e uma rodovia no litoral paulista. Há um monumento em homenagem a Paulo de Tarso na Praça da Sé, próximo ao “marco zero”, aliás, o vulto segurando um pergaminho com a frase: “Senhor, que queres que eu faça”. E o nome do Apóstolo designa a cidade e o Estado!

Referências:

1. Carvalho, Antonio Cesar Perri. Epístolas de Paulo à luz do Espiritismo. Matão: O Clarim. 2016.

2. Carvalho, Antonio Cesar Perri. Chico Xavier – o homem, a obra e as repercussões. Capivari: EME. 2019.

3. Tavares, Clóvis. Amor e sabedoria de Emmanuel. São Paulo: Ed. Calvário. 1970.

4. Xavier, Francisco Cândido; Pires, José Herculano; Espíritos diversos. Diálogo dos vivos. Cap.23. São Bernardo do Campo: GEEM. 1974.

(*) Ex-presidente da USE-SP e da FEB; articulista da RIE; colaborador do CCDPE e do G.E.Casa do Caminho, em São Paulo.

Agenda Chico Xavier

Agenda Chico Xavier para 2020

Agenda com mensagens e textos do médium Chico Xavier. Agora com um dia por página, exceto sábado e domingo. Opções com capa dura e espiralada.

Informações – Editora EME:

https://editoraeme.com.br

Atendimento: (19) 3491-7000;

WhatsApp: (19) 99983-2575

Quem sois?

QUEM SOIS?

“Mas o espírito maligno lhes respondeu: Conheço a Jesus e bem sei quem é Paulo; mas vós, quem sois?” — (ATOS, capítulo 19, versículo 15.)

Qualquer expressão de comércio tem sua base no poder aquisitivo.

Para obter, é preciso possuir.

No intercâmbio dos dois mundos, terrestre e espiritual, o fenômeno obedece ao mesmo princípio.

Nas operações comerciais de César, requerem-se moedas ou expressões fiduciárias com efígies e identificações que lhes digam respeito.

Nas operações de permuta espiritual requisitam-se valores individualíssimos, com os sinais do Cristo.

O dinheiro de Jesus é o amor.

Sem ele, não é lícito aventurar-se alguém ao sagrado comércio das almas.

O versículo aqui nomeado constitui benéfica advertência a quantos, para o esclarecimento dos outros, invocam o Mestre, sem títulos vivos de sua escola sacrificial.

Mormente no que se refere às relações com o plano invisível, mantendo cuidado por evitar afirmativas a esmo.

Não vos aventureis ao movimento, sem o poder aquisitivo do amor de Jesus.

O Mestre é igualmente conhecido de seus infelizes adversários.

Os discípulos sinceros do Senhor são observados por eles também.

Os inimigos da luz reconhecem-lhes o sublime valor.

Quando vos dispuserdes, portanto, a esse gênero de trabalho, não olvideis vossa própria identificação, porque, provavelmente, sereis interpelados pelos representantes do mal, que vos perguntarão quem sois.

Emmanuel

(Xavier, Francisco Cândido. Pelo espírito Emmanuel. Caminho, verdade e vida. Cap. 63. FEB).

Grande evento regional – Obrigado, Kardec!

Grande evento regional – Obrigado, Kardec!

A 38a. CONRESPI, tradicional Confraternização Regional da Família Espírita, promovida pela USE Regional de Ribeirão Preto, será realizada neste ano na cidade de Bebedouro. O tema central é "Obrigado, Kardec!" com atividades no período do carnaval, dias 22 e 23 de fevereiro. O evento será iniciado na manhã do dia 22 com palestra e pinga-fogo com Antonio Cesar Perri de Carvalho, seguindo-se atividades com os expositores Eliseu Florentino da Mota Júnior, Marlene Gonçalves, Antonio Carlos Navarro, Rosana de Souza Ormundo e Ditinha Calixto, todos trabalhadores do Estado de São Paulo.

Visita de Elsa Rossi a São Paulo

Visita de Elsa Rossi a São Paulo

Elsa Rossi, presidente da "British Union of Spiritist Societies", de Londres, esteve em São Paulo, em janeiro de 2020 ciceroneada por Júlia Nezu, ex-presidente da USE-SP e presidente do Centro de Cultura, Documentação e Pesquisa Espírita-CCDPE. Visitou o CCDPE;foi entrevistada no programa Nova Era da TV Mundo Maior; visitou o casal Mirna e Pedro Nakano, diretores do CCDPE e a família Célia e Cesar Perri, ex-presidente da FEB, quando recebeu o livro "Benedita Fernandes. A dama da caridade".

A Casa do Caminho de lá e de cá

A Casa do Caminho de e de cá

Antonio Cesar Perri de Carvalho (*)

No longo período em que ficamos fora da capital paulista perdemos contato com muitos episódios, inclusive do lançamento do livro “O Caminho da Casa de Cristal”, alusivo aos 40 anos da Casa do Caminho, de autoria de Tânia Redigolo.

Ao nos reinserirmos em atividades do Grupo Espírita Casa do Caminho, na Vila Clementino, em São Paulo, além do ambiente fraterno com que fomos recepcionados juntamente com a família, reencontramos muitos companheiros de outros momentos em que frequentamos esse centro e do movimento espírita paulista.

A leitura, embora tardia do citado livro, lançado em 2011, nos remeteu a muitas recordações gratas além de nos propiciar informações que não tínhamos conhecimento.

A origem espiritual do Centro, com base em mensagens obtidas por vários médiuns, mostrando o planejamento espiritual com muita antecedência para o preparo de uma equipe que viria a atuar no plano terrestre. Assim, surgem relatos que identificam o líder inca que viveu no Peru com tarefas específicas no sentido de humanizar alguns cultos primitivos, agora designado como Itaporã, e que participou do planejamento espiritual para a reunião de um grupo de espíritos afins e que vieram a fundar e consolidar o Grupo Espírita Casa do Caminho e o seu desdobramento na área assistencial, a SAFRATER com a Creche e Núcleo Tiãozinho.

No desenrolar das agradáveis narrativas da autora, verificamos que nos primeiros contatos que mantivemos com esse Centro nos anos 1990, ainda numa casa fisicamente adaptada, conhecemos alguns remanescentes da equipe de fundadores e valorosos seareiros.

Lembranças agradáveis da primeira fase em que estivemos ligados a esse Centro, dos contatos que tivemos com alguns dos citados no livro. Entre estes, Hernani Guimarães Andrade, autêntico pesquisador nas hostes espíritas, fundador também do IBPP. Aliás ele prefaciou um de nossos primeiros livros: “Os Sábios e a Sra. Piper. Provas da comunicabilidade dos espíritos” (Ed. O Clarim). A médium e dirigente Assumpta Rizzatti; a dirigente e cantora lírica Assunção de Lucca, de quem fomos vizinhos e até estivemos juntos em Congresso em Portugal. Na interface com a USE-SP, período em que fomos presidente, convivemos com companheiros ligados a esse Centro: o casal Marlene e Paulo Roberto Pereira da Costa; Maria Aparecida Valente, que chegou a publicar livro pela USE-SP; os assistentes sociais Odair Cretella de Oliveira e Régis Lang. Aliás, este último, o atual presidente do Centro. Nesse Centro reencontramos Luiz Armando de Freitas, da revista Informação; também conhecemos Alcíone Novelino, a filha do dr.Thomaz Novelino. E, interessante, ali atuava intensamente Áurea Medeiros, originária de Guararapes, cidade vizinha à nossa terra natal, Araçatuba, que conhecemos nos tempos de eventos de mocidade espírita, e, que desencarnou precocemente.

O livro focaliza o esforço e a dedicação dos fundadores e primeiros trabalhadores da Casa do Caminho, registra as principais atividades e eventos ali concretizados até chegar à atual situação contando com edificações modernas e bem planejadas: uma movimentada sede doutrinária com reuniões diárias em vários horários, no bairro de Vila Clementino, e um intenso labor assistencial em uma grande sede em bairro na região do Jabaquara.

Muito instrutiva e até curiosa a relação de casos pitorescos envolvendo os dirigentes e colaboradores da Casa. Como também algumas mensagens dos mentores da Casa do Caminho. Ao final, a autora apresenta a Galeria de Diretorias e Conselhos, e, de fotos das várias épocas.

Para finalizar destacamos que no Mundo Espiritual, a equipe que atuou na fundação do Grupo foi “vinculada aos carismas preconizados por Paulo de Tarso” e ao lema “fora da caridade não há salvação”, e, nessa preparação “foi fundado primeiramente na Espiritualidade, onde recebeu o nome de Casa de Cristal…” Aí foram “delineados todos os projetos que seriam implantados na nova Casa”.

Fonte:

Redigolo, Tânia. O caminho da Casa de Cristal. 40 anos da Casa do Caminho. São Paulo. 2011. 188p. (disponível na livraria do Grupo Espírita Casa do Caminho, fone: 11- 2348-2230).

(*) Colaborador do Grupo Espírita Casa do Caminho, São Paulo; ex-presidente da USE-SP e da FEB.